Radja Nainggolan ficou quatro anos na Roma e caminhava para ser um daqueles jogadores que passaria boa parte da carreira no clube da capital. No entanto, no último mercado de transferências, acabou sendo negociado com a Internazionale, de maneira até um pouco surpreendente. Em entrevista à Gazzetta dello Sport, o belga abriu o jogo sobre o negócio e afirmou que se sentiu desrespeitado pela diretoria.

“O fim não foi culpa minha, pelo menos não tudo. Eu fiquei decepcionado com certos comportamentos que, como homem, não poderia aceitar. Eu errei, claro, como aquele vídeo no fim do ano (em que estava fumando e aparentemente bêbado). Mas eles fizeram as coisas pelas minhas costas. E um homem de verdade fala as coisas na cara. A Roma queria levantar dinheiro com a minha venda. Descobri depois que havia acordo com clubes estrangeiros, o que eu nunca aceitaria. Eu me senti tratado como um jogador não importante. Àquela altura, Spalletti me ligou e não pensei um segundo”, explicou.

Nainggolan afirmou que teve várias oportunidades de assinar com a Juventus, cinco temporadas seguidas, mas sempre disse não. Apesar da saída conturbada, a ligação com a cidade de Roma segue forte e é na capital onde ele deseja criar os filhos no futuro. Afirmou que é possível que a Internazionale seja o seu último clube porque não jogará por muito tempo. No fim de semana, disputará seu primeiro dérbi contra o Milan.

“Spalletti disse várias vezes que os dois jogos contra o Milan valem um campeonato à parte. E tenho certeza que o barulho no estádio será impressionante. Nós temos muitos jogadores de alto nível. Mas eu vi o Milan nas últimas partidas e me passaram a ideia de serem uma equipe forte, que nos fará suar”, encerrou.