O meio-campista Radja Nainggolan disse em entrevista ao ESPN FC que não voltará a atuar pela seleção da Bélgica e descreveu como “desculpa patética” para ter sido deixado de fora da Copa do Mundo. O jogador da Internazionale, de 30 anos, ficou fora dos 23 convocados, segundo o técnico da Bélgica, por não se encaixar no time. Desde então, o jogador anunciou a aposentadoria da seleção belga.

LEIA TAMBÉM: Disputa entre Catar e Arábia Saudita está por trás de tentativa da Fifa de expandir Copa já em 2022

“Eu não voltarei para a seleção nacional. Eu disse que se eu não fosse para a Copa do Mundo, eu iria me aposentar, e eu sou um homem de palavra”, afirmou o jogador. “Eu jogo o meu futebol aqui [na Inter], com muito amor pelo que eu faço, mas eu tenho uma vida diferente fora daqui”.

“Se eles trocarem o técnico amanhã e ele disser: ‘venha, venha’, ainda é não. Porque quando eu decido, eu mantenho. Não é como se eu tivesse falado que eu não estou interessado enquanto esse técnico estiver no comando. Para mim, quando eu digo que acabou, acabou, porque eu pensei bem nisso”, disse o jogador.

“Cada vez que temos uma data Fifa, eu ganho quatro ou cinco dias de folga e eu estou feliz que eu posso me concentrar na Inter e em outras coisas. Foi uma grande experiência, eu joguei uma grande Eurocopa e isso é suficiente. Foram grandes experiências no nível pessoal. Eu sou fã dos meus companheiros de seleção- eu gosto de todos eles e tenho um grande relacionamento com todos os jogadores, apenas que há algumas coisas que eu não posso aceitar, algumas decisões tomadas sobre mim”, afirmou Nainggolan.

Nainggolan era o titular da Bélgica com o técnico Marc Wilmots, mas com Roberto Martínez virou reserva e só começou três partidas. O espanhol deixou Nainggolan de fora da lista final de convocados dizendo que era uma decisão tática e que foi uma decisão muito difícil. O jogador não aceitou a justificativa.

“Eu fiquei muito, muito decepcionado com o fato que eu joguei uma grande Eurocopa e eu fui descartado por nada. Eu vejo as coisas de forma diferente: na Bélgica, havia jogadores que não estavam atuando em nível de clube e foram convocados. Eu estava jogando 50 jogos e estava sendo deixado de fora. Eu nunca fiquei exigindo jogar, mas eu merecia estar no lugar de alguns outros jogadores”, analisou Nainggolan sobre a sua ausência na Copa 2018.

“Então houveram desculpas, mas todas elas foram patéticas. Por que eu joguei 50 partidas pela Roma se eu estava levando a mesma vida [pela qual eu estava sendo criticado]? Eu acho que é errado quando as pessoas dizem coisas sem falar comigo antes. Você tem que falar as coisas na minha cara, nós podemos conversar, você aperta a minha mão e não me convoca de novo e eu terei mais respeito por você do que por quem não faz isso”, explicou o meio-campista.

Nainggolan se refere às críticas pelo seu estilo de vida. Em janeiro, ele foi criticado por aparecer fumando nas comemorações de ano novo. “As pessoas dizem coisas e, tristemente, no futebol, como na vida, quando você recebe um rótulo, você para sempre é conhecida como essa pessoa”, afirmou o meio-campista. “Antes de me contratar, as pessoas sempre dizem isso e aquilo, mas se você não me quer, tudo bem”, continuou. “Mas eu não sou um rapaz ruim. Eu acho que todas as pessoas que me conhecem vão dizer que eu tenho o maior coração que eles conhecem. Eu gosto de fazer as pessoas ao meu redor se sentirem bem, porque esse é o modo como eu fui criado”.