Nagelsmann defende Guardiola: “É um pouco fácil demais e ousado sempre culpar a tática por algo assim”

Para o treinador do RB Leipzig, não dá para culpar a formação tática pela eliminação do Manchester City na Champions League

A eliminação do Manchester City caiu muito na conta do técnico Pep Guardiola, que é a principal figura do clube. Falamos sobre suas responsabilidades neste texto, com as ressalvas do acaso que também atrapalhou. Um técnico que venceu o seu duelo e está na semifinal da Champions league, Julian Nagelsmann, do RB Leipzig, defendeu o colega, e se recusou a questionar a escalação do treinador, alvo de muitas críticas.

[foo_related_posts]

“Eu não pode classificar isso sobre Pep porque eu não sei o quanto frequente eles treinaram com uma linha de três na defesa antes”, afirmou Nagelsmann ao Goal. “A ideia que ele basicamente teve foi o formato que seus jogadores certamente não consideram muito complicado. Seja 3-4-3 ou 4-3-3, eu não acho que isso é crucial para um Kevin De Bruyne”, declarou o treinador.

“No final, são situações individuais e não a ordem básica. Na minha opinião, é um pouco fácil demais e ousado sempre culpar a formação por algo assim. Se ele tivesse ganhado, todo mundo teria dito: ‘Táticas de classe mundial! Agora ele surpreendeu todo mundo’. É uma corda bamba”.

“Em um jogo eliminatório, você frequentemente você faz ajustes táticos que você não faz na liga. Se necessário, você pode ficar com um ponto. Isso não funciona na Champions League. Todo técnico tem que estar lá para encontrar seu próprio caminho”, disse Nagelsmann.

O RB Leipzig, de Nagelsmann, encara o PSG na semifinal. Do outro lado, o Bayern se classificou com um atropelamento sobre o Barcelona por 8 a 2 e irá enfrentar o Lyon. “O Bayern foi incrivelmente bom, todos os jogadores foram ambiciosos e mostrou um alto nível de intensidade”, comentou o técnico do Leipzig.

“Para ser honesto, o Barcelona também foi muito mal. O time não parecia livre, de modo algum, com muita coisa na cabeça e muito lento em suas ações. Depois do gol do 1 a 1, eles tiveram uma ou duas chances, mas nada além disso. O fato que eles sofreram oito gols no final é quase um pouco demais. Isso não deveria acontecer neste nível”, analisou ainda Nagelsmann.

“Eu também fiquei um pouco chocado, porque não foi sequer equilibrado. É claro, eu não quero diminuir o desempenho do Bayern, foi excepcionalmente forte. Mas os adversários não foram capazes de contra-atacar. Eles estão indo muito, muito bem e são atualmente o time mais estável da Europa, o que eles mostraram na Bundesliga”, continuou o treinador do Leipzig. “O Lyon também não é nada mau. Não é fácil vencer esse time. Nós fomos sorteados contra eles na fase de grupos e perdemos um dos jogos”.

São três técnicos alemães na semifinal da Champions League. Hansi Flick, pelo Bayern, e Thomas Tuchel, adversário de Nagelsmann contra o Leipzig. São dois franceses e dois alemães na fase semifinal, sendo que três dos clubes nunca sequer chegaram na final. Só o Bayern conquistou o título anteriormente – cinco vezes, a última vez em 2013. Entre os técnicos, nenhum deles já conquistou essa taça.

NA TV

Leipzig x PSG
Terça-feira, 18 de agosto, 16h (horário de Brasília)
TNT, Facebook Esporte Interativo, EI Plus

Lyon x Bayern de Munique
Quarta-feira, 19 de agosto, 16h (horário de Brasília)
TNT, Facebook do Esporte Interativo, EI Plus