O RB Leipzig apresentou os rostos da sua nova era. Após sete anos supervisionando o projeto esportivo do clube alemão, Ralf Rangnick assumiu outra função no grupo Red Bull. Ele treinou a equipe na última temporada, aguardando a chegada de Julian Nagelsmann, apresentado ao lado do novo diretor esportivo Markus Krösche.

O desejo do Leipzig por Nagelsmann era tão grande que o clube se dispôs a esperar uma temporada com Rangnick como interino para que o jovem treinador terminasse seu trabalho no Hoffenheim. Acontece que ele é perfeito para a maneira como a Red Bull administra seus projetos esportivos. Se a ideia é ter protagonistas jovens, nada melhor do que um talentoso técnico de 31 anos.

Sem tantos recursos à disposição, Nagelsmann fez um grande trabalho no Hoffenheim, com duas classificações seguidas à Champions League e um estilo de jogo agradável, expansivo, como também apareceu diversas vezes nos últimos anos do RB Leipzig, embora na última temporada, com Rangnick, a equipe tenha sido um pouco mais cautelosa.

“O DNA do Leipzig continuará sendo a base. Não darei grandes saltos. Quero tentar acrescentar minhas ideias, não substituir as coisas. O clube tem uma filosofia de futebol clara, baseada em recuperar a bola e fazer a transição rapidamente. Amo este jeito de jogar. Emociona a torcida e a audiência ao mesmo tempo. Quero manter esse DNA que tornou o RB Leipzig tão bem sucedido. Eu me identifico totalmente com a filosofia do clube”, disse Nagelsmann.

Nas três temporadas que disputou a Bundesliga, o RB Leipzig foi vice-campeão, sexto e terceiro colocado, conseguindo duas vezes classificação para a Champions League. No entanto, ainda não conquistou nenhum título, tendo perdido para o Bayern de Munique na decisão da última Copa da Alemanha. Nagelsmann tem grandes ambições.

“O clube trabalhou muito duro por mim, para que eu pudesse construir uma relação de confiança. A mudança para o RB Leipzig é um próximo passo saudável e lógico para mim”, disse. “Não queremos vencer apenas jogos nesses quatro anos (duração do contrato), mas talvez algo maior”.

Nagelsmann é tão jovem que parece que o RB Leipzig estava apresentando um jogador (Foto: Divulgação)

Um dos pontos principais para o seu trabalho é a situação de Timo Werner. O contrato do atacante, artilheiro do RB Leipzig nos últimos três anos, com pelo menos 20 gols em cada, termina ao fim da próxima temporada. O clube precisa decidir se o vende nesta janela de transferências ou tira mais uma campanha do jogador, antes que ele saia de graça.

Krösche não foi decisivo na resposta. “Não há nada de novo. Queremos que ele continue jogando conosco no futuro”, disse. Nagelsman foi mais direto: colocará o jogador em campo, independente da situação contratual. “Se ele for bom ou melhor que os outros, jogará”, prometeu.

O RB Leipzig já fez duas contratações: o lateral esquerdo Luan Cândido, do Palmeiras, e o meia-atacante Hannes Wolf, do Red Bull Salzburg. “Temos jogadores versáteis, especialmente na defesa. Podemos jogar com três zagueiros ou com linha de quatro. Ainda estamos trabalhando nas nossas táticas básicas, então vocês terão que esperar e ver o que acontece em campo”, afirmou. “Os próximos anos têm que ser tão bem-sucedidos quanto foram os últimos três na Bundesliga”.