O Atlético de Madrid tem compromisso marcado na próxima quinta-feira, quando enfrentará o RB Leipzig pelas quartas de final da Champions League. Neste domingo, os colchoneros revelaram que dois casos positivos assintomáticos de COVID-19 foram detectados no elenco. A delegação realizou os exames em Madri, dias antes de embarcar para Portugal. Os dois membros, que não tiveram seus nomes revelados, encontram-se isolados em seus domicílios. As autoridades esportivas e sanitárias foram comunicadas. Segundo o Marca, ambos são mesmo atletas.

Conforme o comunicado do Atlético de Madrid, o protocolo de atuação previsto para esse tipo de situação já foi acionado. O clube realizará novos exames na delegação que vai a Lisboa e em contatos mais estreitos dos casos positivos. Por conta do procedimento, os colchoneros precisaram alterar seu cronograma de treinamentos e também de viagem. Precisarão traçar novos planos junto à Uefa, para o desembarque e a concentração em Lisboa.

A Uefa havia determinado que os exames fossem feitos com os membros da delegação 72 horas antes da viagem a Lisboa, que ocorreria nesta segunda-feira. Ao todo, o Atlético levará 93 funcionários – entre jogadores, comissão técnica e demais profissionais que trabalham no centro de treinamentos. Todos eles foram submetidos a exames na véspera do retorno aos treinos, em 26 de agosto. Não houve qualquer resultado positivo. Já em 2 de agosto, uma nova bateria de testes seguiu sem positivos.

Segundo o protocolo da Uefa, uma equipe pode entrar em campo com até 13 jogadores disponíveis. Entretanto, o risco de colocar o restante do elenco em quarentena é o que deixa a situação em maior dúvida sobre o Atlético de Madrid. Quem possui a palavra final neste aspecto é o governo de Portugal. Se o time for liberado para a viagem, os jogadores passarão por novos testes em Lisboa e aqueles infectados anteriormente precisarão de um atestado de que estão totalmente recuperados.