Claudio Ranieri deixou bem claro que, para evitar o rebaixamento do Fulham, dependeria de reforços. O clube gastou bastante em seu retorno à Premier League e trouxe 11 jogadores no início da temporada. No entanto, a formação não deu liga e os Cottagers passaram todo o primeiro turno buscando fugir do rebaixamento. O desempenho recente desde a chegada do italiano melhorou um pouco e, a cinco pontos de deixar o Z-3, a permanência é possível. Ainda assim, os londrinos cumpriram o desejo do comandante ao anunciarem sua primeira novidade nesta janela de inverno: aos 32 anos, Ryan Babel reforça o setor ofensivo.

A saída de Babel era esperada há tempos no Besiktas, até mesmo com flertes ao futebol brasileiro. O holandês permaneceu em Istambul após ensaiar a transferência no início da temporada, mas a difícil situação financeira do clube facilitava o adeus de um dos seus medalhões mais bem pagos. Assim, o Fulham aproveitou a oportunidade de mercado para fechar o negócio. O ponta assina com a nova equipe até o final da temporada, em compra que não teve custos aos londrinos. Claramente uma adição emergencial.

Babel possui a sua história na Inglaterra, ligada principalmente ao Liverpool. Foram três temporadas e meia no clube, após ser contratado junto ao Ajax. Não deixou grandes lembranças em Anfield, embora tenha sido uma peça importante durante boa parte do período em que defendeu os Reds. E depois de muito rodar nos últimos anos, voltou à sua melhor forma no Besiktas. Campeão nacional com os alvinegros em 2017, o atacante foi muito bem na temporada passada, uma das referências na campanha até os mata-matas da Liga dos Campeões. Acumulou bons números e apresentou o seu potencial ofensivo, embora tenha perdido embalo nos meses mais recentes. Vale lembrar ainda que o veterano recobrou o seu espaço na seleção holandesa e deu sua contribuição na classificação à fase final da Liga das Nações, titular ao longo da campanha.

“Minhas primeiras impressões sobre o Fulham são boas e estou muito empolgado. Eu definitivamente tenho fé que podemos permanecer na primeira divisão. Esta é uma das razões pela qual estou aqui, para tentar ajudar que isso aconteça. Estou pronto para enfrentar o desafio”, declarou Babel, em sua primeira entrevista. Será interessante observar, inclusive, como o holandês poderá se combinar na trinca ofensiva. Tende a formar uma parceria de respeito ao lado de Aleksandar Mitrovic e André Schürrle – juntos, responsáveis por 70% dos gols da equipe na Premier League.

Obviamente, Babel está longe de ser um salvador da pátria ao Fulham. Mas demonstra como o clube se mexe, até para justificar os altos investimentos do início do ano e evitar um impacto maior com o retorno à Championship. Há capacidade dentro do próprio elenco para escapar da degola. E em um ataque que deixa a desejar pela falta de precisão, com média inferior a um tento anotado por jogo, nada melhor que buscar alguém para auxiliar no entrave. É um jogador limitado, mas que contribuiu com sua experiência e sua disposição.