A Espanha superou o seu principal desafio da Data Fifa na última quinta-feira, quando derrotou a Romênia em Bucareste. Neste domingo, a Roja tinha mais tranquilidade para encarar as Ilhas Faroe em Gijón. E os espanhóis fizeram o mínimo no Estádio El Molinón, com a vitória por 4 a 0. Pode não ter sido a goleada que se esperava contra um adversário tão fraco, mas abre ainda mais o caminho da Fúria, que segue com 100% de aproveitamento no Grupo F das Eliminatórias da Euro. Além disso, a noite foi especial a Sergio Ramos, novo recordista de jogos pela Fúria.

Os atacantes fizeram a diferença à Espanha, que entrou com nove modificações em relação à vitória sobre a Romênia. E um jogador diferente brilhou a cada metade do placar em Gijón. Um dos únicos remanescentes na escalação, ao lado de Sergio Ramos, Rodrigo Moreno anotou os dois primeiros gols. O jogador do Valencia abriu o placar aos 13 minutos. Em um lance brigado, Mikel Oyarzabal ficou com a bola e tirou do goleiro para servir o companheiro, com a meta vazia à sua frente. O domínio dos ibéricos era total, mas a equipe pecava pela falta de velocidade na construção das jogadas. Assim, teve dificuldades para romper a barreira humana formada pelas Ilhas Faroe ao redor da área.

Somente no início do segundo tempo que Rodrigo ampliou, quando a Espanha voltou a acelerar. Num contra-ataque, Thiago Alcântara lançou o amigo de infância na ponta direita. Rodrigo limpou a marcação e chutou cruzado, contando com desvio na defesa para comemorar. David de Gea até trabalhou após um erro de Sergio Ramos, mas a verdade é que o jogo estava nas mãos da Espanha, por mais que o placar se mantivesse magro. Bastava ao time se forçar.

Assim, o placar só se tornou elástico nos minutos finais, depois que Paco Alcácer entrou em campo. O centroavante também recebeu um presente de Thiago para fazer o terceiro, aos 43. Em troca de passes envolvente, o meio-campista tocou rasteiro e o matador só desviou. Por fim, os ares de goleada se consumaram nos acréscimos. Mais um cruzamento, desta vez de José Gayá, para Alcácer dar uma casquinha de cabeça.

O único detalhe memorável da noite ficou a Sergio Ramos. O zagueiro chegou a 167 partidas pela seleção espanhola. Igualou o recorde de Iker Casillas com a Fúria e parece pronto a arrebatar outras marcas históricas no quesito. Com mais nove aparições, o defensor iguala o recorde europeu, que é de Gianlugi Buffon. Já a melhor marca mundial é do egípcio Ahmed Hassan, com 184 apresentações. Se não sofrer lesões, Ramos têm condições de alcançar o egípcio entre 2020 e 2021. E, aos 33 anos, não seria surpreendente se pudesse elevar ainda mais o sarrafo. quem sabe para superar a emblemática barreira dos 200 jogos.

A Espanha chega aos 18 pontos no Grupo F, com seis vitórias em seis rodadas. Já abre sete pontos de vantagem na liderança. Mais abaixo, equilíbrio. A Suécia tem 11, a Romênia vem com dez e a Noruega possui nove. Os escandinavos empataram por 1 a 1 no clássico em Solna, neste domingo. Já os romenos se contentaram com o magro 1 a 0 sobre Malta.