Mundo

A partir deste ano, a Fifa também oferecerá um prêmio ao melhor goleiro do mundo

Os goleiros nunca tiveram muita vez nos prêmios de melhor da Europa ou de melhor do mundo. Lev Yashin é o vencedor solitário da Bola de Ouro, enquanto raras foram as aparições dos camisas 1 nas principais condecorações do planeta. Manuel Neuer foi o último a se aproximar do troféu, em 2014, mas ficou atrás de Cristiano Ronaldo e Lionel Messi. Assim, a partir desde ano, a Fifa oferecerá um novo prêmio específico ao melhor goleiro do mundo. O anúncio foi feito pela entidade internacional nesta quinta-feira. “Há uma coisa que quase todo mundo concorda: o trabalho dos goleiros é um dos mal agradecidos de todos”, afirmou a Fifa, em nota oficial.

A cerimônia da “luva de ouro” acontecerá dentro da festa de gala que anunciará também o melhor do mundo, em Londres. A entrega das premiações da Fifa sofrerá uma mudança neste ano e acontecerá em 23 de outubro, levando em conta o desempenho na temporada, não mais no calendário solar. Assim, um comitê também avaliará os goleiros e nomeará três finalistas ao novo troféu.

“O papel que os goleiros desempenham no futebol é tão importante quanto específico, mesmo que eles muitas vezes não recebam o reconhecimento que merecem. Então é por isso que estamos orgulhosos em introduzir esta premiação. Não estamos honrando apenas aqueles que marcam gols, mas também os que têm uma função igualmente importante em preveni-los”, declarou Zvonimir Boban, ex-meio-campista da seleção croata e atual secretário-geral adjunto da Fifa.

De fato, o reconhecimento aos goleiros nas cerimônias de premiação da Fifa sempre gerou grande debate, especialmente após o anúncio de Neuer entre os três finalistas em 2014. Diante do cenário de mudanças, a entidade resolveu ter um pouco mais de consideração com os craques de luvas. Mas seria legal também que isso não impedisse a participação eventual de goleiros na eleição “geral” do melhor do mundo. Seria um reconhecimento além por todo o trabalho – como Neuer, Gianluigi Buffon e Oliver Kahn desfrutaram neste século.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo