Kai Havertz é um nome quente no mercado de transferências. O prodígio do Bayer Leverkusen atravessa um ótimo segundo turno na Bundesliga e se valoriza ainda mais, atuando muitas vezes como homem de referência no ataque. O alemão de 21 anos sinaliza uma mudança rumo à próxima temporada e os interessados surgem. Chelsea e Manchester United são candidatos fortes na Premier League, assim como o Real Madrid e o Barcelona em La Liga. E quando se trata de um talento local, o Bayern de Munique sempre está envolvido nas conversas.

As especulações sobre Havertz, porém, não satisfazem todo mundo. Nesta quarta-feira, Thomas Müller comentou o assunto, após a vitória sobre o Eintracht Frankfurt na Copa da Alemanha. O atacante elogiou os predicados do jovem, que chegou a ser seu companheiro na seleção alemã. Em contrapartida, o veterano não vê razão para os bávaros fecharem negócio neste momento. Com uma nítida cutucada, Müller questiona de onde viria o dinheiro durante a pandemia. Os jogadores do Bayern aceitaram cortes salariais até o final da temporada, na ordem de 20%, para que a crise financeira não impactasse sobre os demais funcionários.

“Nas minhas últimas convocações à seleção, gostei de treinar e jogar com ele. Havertz é um jogador extremamente bom, talvez o melhor em sua faixa etária na Europa. Ele tem habilidades excepcionais. É lógico, sempre quero os melhores no Bayern. Porém, infelizmente, não tenho informações sobre o departamento financeiro. Então, não sei de onde o dinheiro pode vir nesse momento atual. É um pouco paradoxal quando vocês sempre falam sobre contratações, mas ao mesmo tempo se economizam salários”, declarou Müller, em entrevista à Sky Sports.

Vale lembrar que Thomas Müller renovou o seu contrato com o Bayern de Munique no início de abril – assim como fizeram Manuel Neuer e Alphonso Davies, ou mesmo o técnico Hansi Flick, com sua permanência acertada. David Alaba e Thiago Alcântara também discutem a extensão de seus vínculos atuais. Neste sentido, Müller aponta que a prioridade do clube deveria ser manter a satisfação do atual elenco, depois dos cortes, e não gastar um dinheiro que havia sido negado ao elenco neste primeiro momento.

A imprensa inglesa indica que as ofertas atuais por Havertz giram ao redor de €80 milhões, enquanto o presidente do Leverkusen afirmou que sua expectativa é atingir €100 milhões com a venda – mesmo durante a crise. Segundo a revista Kicker, Hansi Flick tem Havertz em alta consideração, por mais que o prodígio deseje uma transferência ao exterior. De qualquer maneira, a própria direção do Bayern descarta um negócio nessas cifras. Membro do conselho administrativo, Oliver Kahn declara que o momento é de pensar com cuidado sobre qualquer transferência: “Estou mais cético. Fomos muito bem avisados sobre a cautela, porque a realidade traz situações bem diferentes para serem gerenciadas antes do mercado começar”

Thomas Müller tem propriedade para se posicionar à frente dos jogadores do Bayern. O atacante é vice-capitão dos bávaros e, nesta temporada, superou as 500 partidas pela equipe principal – em 12 temporadas como profissional. O momento também dá força à voz de Müller, vivendo um boa fase como há tempos não se via. O camisa 25 chegou a 20 assistências nesta Bundesliga, já igualando o recorde do torneio. E na Copa da Alemanha, com o Bayer Leverkusen pelo caminho, poderá medir forças com Havertz na decisão.