Elen Fokkema, desde os cinco anos, jogava ao lado dos garotos do VV Foarut, clube que milita na nona divisão dos Países Baixos, e teria que abandoná-los, ao completar 19, se não tivesse recebido permissão da federação para ser incorporada ao time principal masculino como parte de um programa piloto que, se bem sucedido, pode mudar permanentemente as regras para permitir que mulheres joguem ao lado dos homens no país.

Garotas e jovens podem atuar junto com os homens até o sub-19. Depois disso, precisam escolher entre defender um time Categoria B ou feminino, enquanto os homens seguem para o futebol adulto Categoria A. Fokkema será a primeira a participar do programa piloto.

“É fantástico que eu possa continuar jogando neste time”, afirmou, em um comunicado. “Eu tenho jogado com eles desde os cinco anos e lamentava não poder continuar no time ano que vem. A Federação Holandesa sempre me aconselhou a continuar jogando com os garotos enquanto fosse possível, então por que não seria possível (continuar)? É um desafio, mas isso apenas me deixa mais empolgada”.

“Perguntei ao clube se algo era possível e juntos enviamos um pedido à federação. Meus companheiros também reagiram com entusiasmo. Não sei como será, mas estou muito feliz por poder participar deste piloto”, completou.

Segundo o diretor de desenvolvimento da federação, Art Langeler, todos os anos há pedidos de clubes para que mulheres possam jogar no time principal masculino. “Na minha opinião, é especial que garotas de todos os níveis possam jogar futebol misto, mas, assim que os garotos passam do sub-19 para a Categoria A dos homens, eles têm que jogar futebol sem mulheres em seu time”, disse.

“A Federação Holandesa apoia a diversidade e a igualdade. Acreditamos que deve haver espaço para todos em todas as maneiras”, encerrou.

.