O trabalho principal dos centroavantes é fazer gols e esta é uma atribuição que faz muitos deles serem julgados apenas por isso. Ou, ao menos, preferencialmente por isso. Há centroavantes, porém, que se destacam por outras qualidades. É o caso de Roberto Firmino no Liverpool. É o caso também de Harry Kane, no Tottenham, que sequer veste a camisa 9. Usa a camisa 10, que na Inglaterra já foi vestida por muitos jogadores desta posição (olá, Teddy Sheringham). José Mourinho foi só elogios a Kane depois da vitória sofrida por 2 a 1 sobre o Brighton, no Boxing Day.

“Quando eu não era o seu técnico, eu sempre dizia que Kane é o tipo de atacante que é fantástico mesmo se ele não marque gols”, afirmou Mourinho. “Há muitos grandes centroavantes no mundo que fazem muitos gols, mas no dia que eles não marcam, o seu desempenho é ruim porque eles não entregam nada”.

“Harry é um cara que se ele não marca, seu desempenho é bom; ele pressiona, ele recupera a bola, ele segura a bola, ele faz assistências, ele recua, quando Dale sai da posição, ele cobre esta posição na organização defensiva”, explicou Mourinho.

“Ele é fantástico. Ele marcou dois grandes gols, o primeiro corretamente anulado pelo VAR, mas a ação e movimento foram brilhantes. O segundo gol foi brilhante, o gol foi fantástico e importante. Seu trabalho foi absolutamente fenomenal”, descreveu o treinador sobre o gol de empate do Tottenham.

“É um pouco como Dele. Desde que eu cheguei, Dele marcou quatro gols na Premier League, um na Champions League. Mas eu não vou nessa direção, eu olho para Dele exausto do seu trabalho. Eu amo jogadores que terminem a partida exaustos, é isso que esses caras estão fazendo. Moussa Sissoko, incrível. Eu estou muito feliz com esses caras”, elogiou Mourinho.

“Eu sei o futuro de Eriksen”

Entre os assuntos que surgiram na coletiva pós-jogo esteve também Christian Eriksen, destaque na partida. Ele participa do segundo gol, construído a partir de um lançamento seu para Serge Aurier cruzar para Dele Alli. Com contrato apenas até o final da temporada, o jogador por vezes tem ficado no banco. Há rumores que Mourinho tenta convencê-lo a renovar com o clube, mas até aqui, os sinais indicam que o dinamarquês deve sair.

“Sobre o futuro dele, eu sei seu futuro. Eu acho que eu sei seu futuro porque sua comunicação comigo é completamente aberta e honesta e nós confiamos um no outro. A única coisa que eu posso dizer a vocês é que eu sei o seu futuro, mas não sou eu a pessoa a falar sobre o futuro dele, tem que ser ele que fale sobre isso quando ele decidir falar, não eu”, afirmou Mourinho.

“Meu sentimento é que ele quer nos ajudar, que é porque quando estamos em perigo e precisamos de um jogador com suas qualidades, eu o coloco para jogar. Hoje ele foi importante. Harry [Winks] tinha um cartão amarelo, nós precisávamos de frescor [físico], nós precisávamos de visão e passes rápidos, e ele estava lá por nós”.

Ndombele não se sentiu em condições de jogar

Tanguy Ndombelé foi a maior contratação da história do Tottenham no começo desta temporada. O francês veio do Lyon por € 60 milhões e chegou jogando bem no começo da temporada, ainda sob o comando de Mauricio Pochettino. Só que o meio-campista sequer foi para o banco de reservas nesta partida.

“Eu não posso dizer que ele está machucado. Eu posso dizer que ontem [quarta] ele me disse que não estava se sentindo em condições de jogar o jogo, não baseado em uma lesão, mas em medos de lesões anteriores que ele tem desde o começo da temporada. Duas, três ou quatro lesões musculares e a sensação que não estava pronto para o jogo. Mas eu não posso dizer que ele está machucado, eu posso apenas dizer que ele não estava em condição, o que é algo diferente”.