Derrotados nos importantes confrontos diante de RB Leipzig e Chelsea nos últimos dois jogos, por Champions League e Premier League, respectivamente, os Spurs sofreram com a ausência de seus dois melhores jogadores, Heung-min Son e Harry Kane, desfalques inicialmente pensados para o resto da temporada. Porém, em entrevista coletiva nesta sexta-feira (28), o técnico admitiu ter a expectativa de contar com a dupla ainda nesta campanha – o que particularmente anima a seleção inglesa.

José Mourinho tem sofrido com as baixas do Tottenham e não tem feito esforço em esconder isso. Chegou a dizer, depois da partida com o Leipzig, que atuar sem os dois era como ter uma pistola sem munição – uma visão terrível diante do longo período que ficaria sem os dois. Agora, o cenário é um pouco mais esperançoso.

Inicialmente, Mourinho diz que esperava que Harry Kane voltasse para um ou dois jogos antes que a temporada acabasse. A expectativa, no entanto, está subindo: “três, quatro ou cinco. Não sei, estou só especulando um pouco. Mas a sensação é boa. Ele está fazendo o que pode a essa altura, mas sempre com uma boa impressão”.

O português aproveitou a coletiva para encher a bola de seu comandado, que, segundo ele, tem sede de superar as expectativas, sejam elas em campo ou fora dele, em uma recuperação de uma lesão grave como a que sofreu na coxa.

“Sempre que ele tem um problema, ele é o tipo de cara que não aceita protocolos, uma data, uma previsão. Ele sempre tenta se antecipar. É o tipo de cara com quem temos um ótimo controle e uma comunicação muito boa. Às vezes, os jogadores quebram o protocolo e voltam mais cedo do que o esperado. Aconteceu com o Hugo Lloris, que jogou duas semanas antes do que esperávamos. Veremos com o Harry. Ele obviamente é um excelente profissional e um batalhador, quer voltar o mais rápido possível.”

“Quando ele se machucou, eu disse a vocês (jornalistas) que iria me esquecer dele. Então, disse (que poderia jogar) um ou dois jogos – Crystal Palace ou Leicester. No momento, tenho esperanças maiores do que isso, então espero que essa sensação esteja correta e que ele possa nos ajudar na última parte da temporada”, completou.

Questionado também sobre Son, cuja lesão sofrida em 16 de fevereiro poderia demorar ao menos oito semanas para ser tratada, Mourinho se mostrou menos otimista. Lembrou ainda que o jogador, com viagem programada de Seul para a Inglaterra neste final de semana, precisará ficar isolado por duas semanas por questão de precaução em torno do coronavírus.

“Essa é outra esperança, mas, é claro, estamos longe disso. Ele voltará para a Inglaterra muito em breve. Então, terá que seguir alguns protocolos de segurança por estar vindo de Seul. Quando sua recuperação começar, tentaremos todas as possibilidades para tê-lo de volta para algumas partidas. Não consigo imaginar quando”, avaliou.

A palavra final, por outro lado, é, em geral, positiva: “Existe uma boa possibilidade de que, antes do fim da temporada, tenhamos Harry e Sonny jogando juntos”.

Especialmente no caso de Kane, a novidade é um excelente impulso à sua seleção. A menos de quatro meses da Eurocopa, a Inglaterra se preocupa, com razão, com seu ataque, diante de lesões de Abraham (que, recuperado, volta aos poucos aos gramados), Rashford (sem previsão de retorno) e Kane, principal nome do setor, mas que, com o excesso de jogos e as recuperações de lesão apressadas nas últimas temporadas, vê sua participação integral na competição ameaçada.