José Mourinho parece cada vez mais distante daquela figura carrancuda e ranzinza que nos acostumamos a ver nos últimos anos. Desde que assumiu o Tottenham, em novembro de 2019, o técnico parece muito mais leve, mesmo nos momentos de problemas, como tem sido o atual. O português deu gostosas risadas quando teve que responder sobre o tempo de Son Heung-min afastado, sobre Harry Kane, se ele está recuperado, e até sobre Delle Ali, substituído no jogo de meio de semana, pela Champions League.

O Tottenham vem bem na Premier League, mas perdeu seus dois principais jogadores por lesão. Harry Kane não joga desde o dia 1º de janeiro, quando se machucou. Son Heung-min se machucou no dia 16 de fevereiro. Ficou fora da partida pelo torneio europeu e, possivelmente, está fora da temporada. Muito embora o comunicado do Tottenham tenha descrito o tempo de ausência como “um número de semanas”. Mourinho já tinha dito que se fosse ele a escrever o comunicado, teria feito de outra forma. E deu risadas falando sobre o assunto quando perguntado, ao lado do assessor de comunicação do Tottenham.

“O Tottenham sem Harry ou Sonny, sem um deles, não ganha um jogo desde 2014”, afirmou Mourinho. “Isso significa muito. Isso significa que Sonny e Harry marcam a maioria dos gols que o Tottenham faz. Esta temporada foi tão, tão negativamente especial que nós ficaremos sem os dois ao mesmo tempo por muitas partidas”, continuou Mourinho. “Se nós conseguirmos terminar nos quatro primeiros será algo incrível. Uma incrível conquista para os garotos. Então nós temos que dar tudo que nós temos”.

O fim de semana será de duelo londrino. Pode chamar de clássico mesmo. O Tottenham vai até o estádio Stamford Bridge para jogar contra o Chelsea. Os Blues consideram que os Spurs são o principal rival do time, embora o contrário não seja verdadeiro. O Tottenham tem o Arsenal como principal rival.

Perguntado se se o retorno a Stamford Bridge era especial, de alguma forma, o técnico do Tottenham negou. “Não. Não, não é especial. Um jogo mais. Porque eu sou profissional, porque eu disse toda vez que eu joguei pelos meus clubes anteriores, eu pertenço 200% ao meu clube”, declarou ainda o treinador. “E é isso. A única coisa diferente é que ao final do jogo eu posso ir andando do estádio para minha casa. Mas mesmo isso eu não posso tirar vantagem porque eu volto com meus jogadores”, afirmou ainda o técnico.

“Ver Lampard é sempre bom. Se eu o encontro no restaurante, se eu o encontro no corredor, é sempre bom vê-lo. Mas não é tão especial jogar contra o time dele, não é contra ele, é meu time contra o time dele. Não é especial”, explicou ainda o técnico.

Os problemas do Tottenham com lesões não fizeram com que Mourinho perdesse o bom humor. A sua coletiva de imprensa foi cheia de sorrisos. Um grupo de jogadores da base do Tottenham passou atrás dele e o português fez um sinal levantando o punho, dizendo “c’mon”. Quando perguntado sobre a temporada do Manchester United em 2018, ele brincou, citando os problemas do Manchester City. “Talvez eu ganhe o título”.

A derrota no meio da semana para o RB Leipzig, pela Champions League, não pareceu desanimar. “Em três meses nós fomos de estar perto da zona do rebaixamento a estar a um ponto dos quatro primeiros. Um esforço enorme de todos”, disse o treinador, que pegou o time em 14º na tabela e agora está em quinto.

“Então, agora que estamos nesta posição, nós ganhamos o direito de lutar por isso. É difícil. No momento, provavelmente muitas pessoas pensam que é impossível, mas nós iremos lutar e olhar especificamente para esta partida, que é a única que importa agora. Vamos lá”, disse Mourinho.

NA TV
Chelsea x Tottenham
Sábado, 9h30 – ESPN Brasil (Clique aqui, assine e ganhe 7 dias grátis)
Veja mais na Programação de TV