O Tottenham fez uma campanha histórico na Champions League da temporada passada, 2018/19, quando foi até a final e acabou derrotado pelo Liverpool. Nesta, mesmo com este histórico recente, os alemães do RB Leipzig eram os favoritos diante dos Spurs, que sofrem com uma grave crise de lesões. Seus dois principais jogadores, Harry Kane e Song Heung-min, estão machucados por longos períodos e o time ainda teve mais desfalques para a partida de volta das oitavas de final. Por isso, a derrota na Alemanha por 3 a 0 não foi uma surpresa. José Mourinho fez previsões pessimistas para a temporada e afirmou com todas as letras: nenhum clube conseguiria lidar com a crise de lesões que afetou o Tottenham.

Sem Son e Kane, além de Bergwijn, contratado em janeiro, o Tottenham teve Lucas Moura no comando de ataque, municiado por Erik Lamela, Dele Alli e Giovani Lo Celso. O time teve uma atuação muito ruim no setor ofensivo e acabou criando poucas chances. Lucas deixou o campo sendo consolado por Mourinho. Ele foi o herói do time na semifinal da temporada passada, quando fez três gols fora de casa contra o Ajax.

“Nós temos nossos problemas e nossos problemas, como você diz, não são apenas lesões, mas nenhum time no mundo lidaria com lesões por um tempo tão longo. Você pode conseguir lidar por uma ou duas partidas, você não pode lidar por três ou quatro meses. É demais”, afirmou o treinador.

“É claro que o melhor time venceu. Fisicalidade, intensidade, contra-ataque, ganhando duelos atrás, um time realmente muito forte, no topo da sua condição, com seus melhores jogadores, com o banco cheio de jogadores de qualidade contra um time que está com problemas. Vocês puderam ver”, continuou o técnico.

A eliminação na Champions League não é uma surpresa, mas evidencia um outro problema: chegar à próxima edição da competição europeia é difícil. “Com o elenco que temos no momento, será muito, muito difícil”, afirmou o técnico. “Nossos problemas não irão desaparecer amanhã. Nós iremos lutar até o fim”.

“Na Premier League, nós não temos resultados que não temos chance de lutar por pontos. Nós perdemos por 3 a 2, 2 a 1, 1 a 0, nós tivemos empates, então não é que não possamos lutar. Nós não iremos recuperar nenhum jogador para domingo, mas ao menos nós temos um pequeno período, quatro dias, então ao menos do ponto de vista físico nós podemos reagir”, analisou o treinador.

O Tottenham teve o desfalque de Steven Bergwijn, Bem Davies, Harry Kane Davinson Sánchez, Moussa Sissoko e Son Heung-min contra o RB Leipzig. “Nós temos muitos problemas e está realmente difícil”, disse Mourinho. “Eu fui positivo ontem [segunda], mas isso é o que eu tenho que ser. A realidade é uma coisa diferente. Um time é muito mais forte. É claro que foi difícil e o Leipzig claramente merece chegar às quartas de final. Todo time no mundo iria sofrer sem cinco ou seis dos seus jogadores mais importantes. É simples assim”, continuou o português. “Todos os jogadores no banco do Leipzig iriam jogar no meu time neste momento”.

Dele Alli também falou sobre o jogo, em uma partida que ele mesmo foi mal. “Se você não se apresentar, você será punido”, disse o meio-campista. “Nós temos que mostrar maturidade e lutar, e nós não mostramos isso. Nós temos que nos desculpar com os torcedores que vieram até aqui”.

O Tottenham volta a campo pela Premier League, em um jogo perigoso. No novo Tottenham Stadium, o time recebe o Manchester United, que vem em boa fase e venceu, recentemente, o Manchester City. É uma batalha direta pela vaga na Champions, já que o United é o quinto colocado, com 45 pontos, enquanto o Tottenham é o oitavo, com 41 pontos.