José Mourinho pode não ser uma unanimidade, mas é impossível não reconhecer suas qualidades como técnico. Campeão da Liga dos Campeões por dois clubes diferentes, dono de títulos das ligas nacionais de quatro países. Completando 50 anos neste sábado, Mourinho carrega um currículo primoroso. Já é um dos maiores técnicos da história e, pela idade, tem grandes chances de enfileirar ainda mais taças.

Já fora de campo, Mourinho provoca um maniqueísmo: ame-o ou odeie-o. Ainda assim, não se pode negar a genialidade do treinador ao lidar com as palavras. Brincalhão, filosófico ou arrogante, o português deu declarações memoráveis nos últimos anos. Frases que marcam uma personalidade forte – ou, em seus próprios termos, “especial”. Relembre algumas delas:

Porto

“A única coisa que quero dizer é que nós somos os melhores e, em condições normais, somos mais que os melhores. Em condições normais, seremos campeões. Em condições anormais, também”.

Chelsea

“Por favor, não me chamem de arrogante, mas sou campeão europeu e penso que sou alguém especial” – em sua apresentação no Chelsea, justificando o apelido de Special One.

“Se eu quisesse um trabalho fácil, continuaria no Porto. Bela cadeira azul, Liga dos Campeões, troféus, Deus e, depois de Deus, eu”.

“Para mim, pressão é a gripe aviária. Não estou sentindo tanta pressão quanto os cisnes na Escócia. Estou falando sério. Tenho mais medo da gripe aviária do que do futebol. O que é o futebol comparado com a vida?”.

“O estilo como você joga é muito importante. Mas é como omeletes e ovos. Sem ovos, não há omelete. Depende da qualidade dos ovos. No supermercado, se você tem três tipos de ovos, alguns dão melhores omeletes que os outros”.

“Como vocês dizem trapacear em catalão? Barcelona é uma cidade cultural, com muitos teatros e esse garoto tem aprendido muito bem. Ele está aprendendo a atuar” – sobre Lionel Messi, então promessa do Barcelona.

“Não tenho nada contra Sir Alex Ferguson. Depois do jogo de quarta, ele esteve no meu escritório e tomamos vinho juntos. Infelizmente, era uma garrafa muito ruim e ele reclamou. No returno, em Old Trafford, levarei um belo vinho português”.

“Eu penso que ele é um voyeur. Ele gosta de observar outras pessoas. Há alguns caras que, quando estão em casa, ficam olhando o que acontece nas outras famílias com um telescópio. Ele fala, fala e fala sobre o Chelsea” –  sobre Arsène Wenger.

Internazionale

“Eu estudei italiano cinco horas por dia durante vários meses para assegurar que me comunicaria na língua com os jogadores, com a imprensa e com os torcedores. Claudio Ranieri esteve na Inglaterra por cinco anos e ainda tem dificuldades em dizer bom dia” – alfinetando seu antecessor no Chelsea e desafeto nos tempos de Inter.

“Eu não conheço quem é Lo Monaco. Já ouvi falar do Bayern Monaco (Munique), do GP de Mônaco, do Monaco (monge) do Tibet e do principado de Mônaco, mas nenhum além desses” – destilando seus conhecimentos em italiano e dando um fora em Pietro Lo Monaco, presidente do Catania, que afirmou que beijaria Mourinho na boca após uma vitória da Inter.

“Se fizerem um filme da minha vida, penso que poderiam escolher George Clooney para o meu papel. Ele é um ator fantástico e minha mulher pensa que ele seria o ideal”.

Real Madrid

“Estou preparado. Quanto mais pressão, mais forte eu sou. Em Portugal, dizemos que, quanto maior o barco, maior a tempestade. Por sorte, sempre estive em grandes barcos – Porto, Chelsea e Inter. Agora estou no Real Madrid, que é considerado o maior barco do planeta”.

“Olhe, eu sou um técnico. Não sou Harry Potter. Ele é um bruxo. Magia é ficção e futebol é real” – comentando um empate sem gols contra o Mallorca.

“O Real busca o décimo título, que é uma marca impressionante. Estou procurando o terceiro com um clube diferente, o que seria muito especial para mim. As ambições estão calmas e controladas, iremos conseguir. A Liga dos Campeões é a ‘Special One’”.

“A única coisa que posso dizer é que seguirei trabalhando, não sei se aqui ou em outro lugar. Se vou embora no ano que vem, não será para passar um ano de férias” – tirando sarro do ano sabático de Pep Guardiola.

“Eu realmente penso que sou um grande homem. Preciso pensar isso, porque Deus não me daria tanto se fosse de outra forma. Tenho uma grande família, trabalho em um lugar que sempre tive em meus sonhos. Deus me ajudou tanto que deve ter uma opinião muito boa sobre mim”.