Por Emmanuel do Valle, jornalista e dono do blog Flamengo Alternativo

Ídolo do Aston Villa no início dos anos 90, o ex-atacante Dalian Atkinson morreu na madrugada desta segunda-feira, aos 48 anos, após receber descarga elétrica de um “taser”, arma de eletrochoque comumente utilizada pela polícia britânica. Autor do primeiro gol dos Villains na Premier League e lembrado também na Espanha por sua boa passagem pela Real Sociedad, o ex-jogador se envolveu em uma discussão na casa de seus pais no subúrbio residencial de Trench, em Telford, perto de Birmingham. Chamados ao local, os oficiais renderam Dalian com choques elétricos, e ele veio a falecer cerca de uma hora e meia depois.

VEJA TAMBÉM: A comemoração alucinada de Conte dá o tom da estreia do Chelsea na Premier League

De acordo com o pronunciamento da polícia de West Mercia, os oficiais receberam chamadas alertando sobre “a segurança de um indivíduo” e chegaram à casa dos pais de Dalian, por volta de 1h45 da manhã (horário local) desta segunda-feira. Segundo Ernest Atkinson, 85 anos, pai do atacante, ele estava ‘muito alterado’. “Não sei se ele tinha bebido ou tomado drogas, mas estava muito agitado e nervoso. A última coisa que me disse foi ‘não se mexa’ assim que os policiais chegaram até a porta”, revelou Ernest, que negou ter sido o autor da chamada para a polícia, em declarações publicadas pelo Birmingham Mail.

Ao sair da casa dos pais, Dalian teria discutido com os policiais, antes de receber o eletrochoque e cair imediatamente. “Ele recebeu o eletrochoque na calçada, do lado de fora. Não o vi, mas vi o clarão. Não dormi e não consigo aceitar isso”, lamentou Ernest Atkinson. Na ambulância que o levou ao hospital Princess Royal, o ex-jogador sofreu parada cardíaca e foi declarado morto cerca de uma hora e meia depois. Segundo seu sobrinho Fabian, o ex-atacante sofria de problemas no coração e no fígado, tendo se submetido a tratamento de diálise recentemente.

dalian e saunders - copa da liga

Segundo um vizinho, que preferiu não ser identificado, o ex-jogador teria batido e chutado a porta da casa dos pais várias vezes, enquanto gritava para que deixassem-no entrar e dizia não ter onde morar. “Não tenho ideia sobre o que ou por que motivo eles brigavam, então alguém ligou para a polícia e eles vieram. Não sei exatamente o que aconteceu depois disso, mas foi tudo muito trágico”, afirmou ao Birmingham Mail.

Bastante chocados, outros moradores da vizinhança lamentaram a morte de Dalian, a quem consideravam uma pessoa generosa, que frequentemente visitava os pais. A moradora da casa ao lado, Lascelles Rose, afirmou que o pai do ex-jogador estava inconsolável: “Ele apenas me dizia: ‘ele se foi, meu garoto está morto’”. Já outra vizinha, Paula Quinn, criticou a atitude da polícia: “Eu me sinto um pouco angustiada por saber que aquele rapaz morreu. Não me importa o que tenha feito, ninguém merece morrer em decorrência de algo deste tipo”, disse ao jornal.

O caso foi repassado à Comissão Independente de Queixas sobre a Polícia (IPCC), uma espécie de corregedoria da polícia, que abriu inquérito para apurar a morte de Dalian.

Homenagens do mundo do futebol

Dezenas de jogadores e ex-jogadores do futebol britânico, além dos principais clubes por onde Dalian passou (Aston Villa, Real Sociedad, Ipswich, Sheffield Wednesday e Fenerbahçe) e da Football Association prestaram homenagens ao atacante nas redes sociais. Entre os que lamentaram, ex-companheiros de clube como os irlandeses Paul McGrath e John Aldridge e o inglês Ugo Ehiogu; seu ex-técnico Ron Atkinson; contemporâneos como Gary Lineker e Sol Campbell; e até o meia Jack Grealish, do atual time do Villa, que sequer tinha nascido quando o jogador deixou o clube de Birmingham.

VEJA TAMBÉM: Como o Liverpool fez ainda mais feliz o domingo do novo recordista dos 400 metros

Já os torcedores chegaram a propor um grande tributo com guarda-chuvas para a partida contra o Huddersfield, pela Championship, nesta terça-feira, em alusão a uma comemoração bastante lembrada do jogador após marcar um gol antológico diante do Wimbledon em Selhurst Park, na primeira edição da Premier League, e que recebeu na época o prêmio de “gol da temporada” da BBC. O dono do clube, Tony Xia, não permitiu alegando motivos de segurança, mas garantiu que o Villa prestará homenagem ao jogador.

https://www.youtube.com/watch?v=9E9FDiUTp30

A carreira de Dalian Atkinson

Atacante veloz e driblador, além de bom finalizador, Dalian começou a jogar no Ipswich, estreando aos 18 anos em uma partida da temporada 1985/86, na qual os Tractor Boys acabariam rebaixados. Após três bons anos na segunda divisão com o clube de East Anglia, atraiu o interesse do Sheffield Wednesday, dirigido pelo experiente Ron Atkinson (sem parentesco). Em sua única temporada em Hillsborough, balançaria as redes dez vezes, mas não conseguiria salvar as Owls do rebaixamento, decretado na última rodada, por diferença de apenas dois gols no saldo para o salvo Luton Town.

VEJA TAMBÉM: Entidades místicas do futebol europeu: a zebra enganadora

Mesmo com a queda, seu futebol chamou a atenção da Real Sociedad. Transferiu-se para o clube basco em agosto de 1990, junto com o meia Kevin Richardson (ex-Arsenal) e o centroavante irlandês John Aldridge (ex-Liverpool), com quem fez boa dupla de frente, marcando juntos 29 dos 39 gols dos donostiarras na liga naquela temporada. Primeiro negro a defender os txurriurdin, Atkinson anotou para sua equipe em jogos grandes, como os empates em 1 a 1 com Real Madrid e Barcelona em San Sebastián, na vitória de 1 a 0 sobre o Valencia no Mestalla e na derrota no clássico basco diante do Athletic Bilbao no San Mamés. Balançou as redes também na vitória de virada sobre o Atlético de Madrid em casa, por 2 a 1, e no marcante triunfo de 3 a 1 sobre o Barcelona de Cruyff em pleno Camp Nou, estragando a festa blaugrana pelo recém-assegurado título da liga.

Mesmo com a boa temporada individual da dupla de frente, a Real Sociedad terminaria a campanha apenas na 13ª posição, com 36 pontos – três acima do playoff de rebaixamento – e o trio britânico retornaria à ilha. Com dinheiro em caixa após a fabulosa venda de David Platt para o Bari, o Aston Villa montaria um bom time para as próximas temporadas, sob o comando de Ron Atkinson, com quem Dalian se reencontraria. No Villa Park, era escudado pelo competente armador Garry Parker e, nas pontas, pelo irlandês Ray Houghton e por um jovem trinitino chamado Dwight Yorke. Na primeira temporada, o time de Birmingham já ascendia de um 17º lugar no ano anterior para a sétima posição.

Mas seria na seguinte, a primeira da história da Premier League, que Atkinson se tornaria definitivamente um ídolo dos Villains. Para começar, seria o autor do primeiro gol do clube na história da nova liga, num empate em 1 a 1 diante de seu ex-clube Ipswich, em Portman Road. Marcaria também nas duas partidas seguintes, contra Leeds e Southampton. Em setembro, ganharia aquele que seria seu grande parceiro de frente, o galês Dean Saunders, pelo qual o clube abriria os cofres para tirar do Liverpool.

https://www.youtube.com/watch?v=HUXdbMK_WA8

Com a dupla afiada – logo de saída arrasaram os Reds com um 4 a 2 no Villa Park, com dois gols de Saunders, um de Atkinson e um de Garry Parker –, o time de Birmingham esteve o tempo todo entre os ponteiros na temporada inaugural da Premier League. Em fevereiro de 1993, assumiria a liderança, posição a qual ocuparia até quando faltavam seis jogos para o fim da competição. No entanto, acabou ultrapassado pelo Manchester United, de Alex Ferguson. Dalian, no entanto, não sairia de mãos abanando: autor de uma pintura contra o Wimbledon, em novembro de 1992 (partindo da própria intermediária, driblou dois adversários antes de finalizar com um leve toque, de fora da área, encobrindo o arqueiro), seria agraciado pela BBC com o prêmio de gol da temporada.

Se a honraria valia mais pela simbologia, Dalian e o Aston Villa levantariam uma taça de verdade na temporada seguinte, ao conquistarem a Copa da Liga Inglesa, primeiro título do clube desde a Supercopa Europeia em janeiro de 1983. Ao longo da campanha, o time despachou o rival Birmingham City em dois jogos, o Sunderland, o atual campeão Arsenal, o Tottenham e o Tranmere Rovers na semifinal, em decisão dramática nos pênaltis após duas partidas (com direito a Dalian Atkinson marcando o gol que levaria o jogo para as penalidades a dois minutos do fim). Na final em Wembley, teria sua vingança diante do Manchester United, vencendo por 3 a 1, com Atkinson abrindo o placar.

Na temporada 1994-95, a boa fase chegaria ao fim. Com o time amargando derrotas sucessivas e na zona de rebaixamento, o técnico Ron Atkinson seria demitido na metade da temporada, dando lugar a Brian Little, que iniciaria uma faxina no elenco. Dalian passaria à reserva, atuando apenas 11 vezes como titular. Um de seus últimos gols pelo clube seria diante dos turcos do Trabzonspor, em novembro de 1994, pela Copa da Uefa. Ironicamente, a Turquia acabaria se tornando seu destino ao deixar o Villa em agosto de 1995, contratado pelo Fenerbahçe.

No clube de Istambul, ajudou o clube a conquistar o título na primeira temporada, na qual foi dirigido pelo brasileiro Carlos Alberto Parreira e marcou dez gols, incluindo um hat-trick no clássico contra o Galatasaray. Mas na segunda acabou emprestado primeiro ao Metz, depois ao Manchester City, então na segundona inglesa. Teria início sua saga de andarilho da bola que o levaria à Arábia Saudita (Al Ittihad) e à Coreia do Sul, onde atuou pelo Daejeon Citizen e o Jeonbuk Hyundai Motors, no qual penduraria as chuteiras em 2001, aos 35 anos.

Trivela1