O meio-campista Riccardo Montolivo mostrou muito respeito pela Alemanha, adversário da semifinal da Eurocopa. O meia tem origens alemãs na família e declarou que o seu papel no time não é o de ser um trequartista, o meia mais criativo do time.

“Para mim, é um jogo especial porque eu não posso me esconder, uma pequena parte da Alemanha está em mim”, disse. A mãe de Montolivo é Antje, que é alemã, e o jogador passou muitas férias de verão em Kiel, uma cidade no norte da Alemanha. “Tenho um tio e muitas memórias maravilhosas. Eu também tenho alguns amigos que eu mantenho contato, mas eu sou italiano, vamos dizer, 90%”.

Apesar das dificuldades para vencer a Inglaterra, Montolivo disse que contra a Alemanha o desafio será ainda maior e mais difícil. “Eles são um time forte, um time rodado, há três competições eles estão chegando”, declarou o jogador, que defendeu a Fiorentina na temporada passada e vestirá a camisa do Milan na próxima.

“Nós crescemos, nós esperamos melhorara ainda mais. Com todo respeito à Inglaterra, é um time que joga mais futebol. Nós teremos mais problemas na defesa, mas também mais espaço no ataque. Os jogadores mais fortes da Alemanha são Neuer e Özil para mim”, analisou o meia.

Escalado para o lugar de Thiago Motta, o meio-campista refutou a ideia de ser um trequartista. “Eu não sou um trequartista, eu sempre joguei no meio-campo. Na seleção, joguei em uma posição similar ao de trequartista, mas na verdade não era, fui escalado para jogar como meio-campista, para todos os efeitos, mas jogo em uma área mais avançada do campo”, explicou.