O mercado de inverno do futebol europeu começa a se aquecer. Nesta quinta-feira, o Monaco anunciou a contratação do zagueiro brasileiro Naldo, que estava no Schalke 04. O jogador de 36 anos assinou contrato até 2020 e chega para tentar reverter a sorte do time treinado por Thierry Henry, o vice-lanterna da Ligue 1, depois de uma carreira de muito respeito na Alemanha.

LEIA MAIS: Recordista, Naldo gravou em definitivo o nome entre os maiores brasileiros da Bundesliga

 

Naldo disputou 13 temporadas e meia de Bundesliga, com 358 partidas por três clubes diferentes – e relevantes. Em dez dessas campanhas, superou ou fico muito próximo dos 30 jogos pela liga alemã com 34 rodadas, o que significa que na maior parte do tempo foi titular ou, pelo menos, um atleta muito importante do seu elenco.

Na última temporada, já com idade avançada, alcançou um feito inédito nessa caminhada: jogou as 34 rodadas com a camisa do Schalke 04, sem nunca ser substituído. Contribuiu para o vice-campeonato do time de Gelsenkirchen, que teve a terceira melhor defesa da competição. Foi incluído em seleções do campeonato e teve uma das melhores campanhas da sua carreira na Alemanha.

Seu primeiro clube na Europa foi o Werder Bremen. Defendeu-o entre 2005 e 2012, quando se mudou para o Wolfsburg. Em 2016, acertou com o Schalke 04. Soma dois títulos da Copa da Alemanha (um pelo Werder, outro pelo Wolfsburg) e uma Supercopa da Alemanha. Excelente no jogo aéreo e cobrador de faltas, anotou 46 gols na Bundesliga. Ele também empresta ao Monaco a experiência em competições europeias, com 90 partidas entre Liga Europa e Champions League.

“É um novo projeto para mim, depois de 14 anos na Bundesliga. Agradeço o Monaco pela confiança e farei de tudo para cumprir as expectativas do clube em campo e também fora dele. Eu quero trazer minha experiência para ajudar o Monaco a encontrar o seu lugar”, disse Naldo, que defendeu a seleção brasileira quatro vezes, uma delas no título da Copa América de 2007.

O Monaco precisa de toda ajuda que puder encontrar. O projeto comandado por Leonardo Jardim entrou em colapso no começo da temporada e, com a demissão do português, Henry tenta pelo menos manter o clube na primeira divisão francesa. A melhora, por enquanto, é marginal, com duas vitórias nas últimas cinco rodadas, depois de passar 12 partidas da Ligue 1 sem vencer.