MLS

O Columbus Crew ofereceu uma bela despedida ao Historic Crew Stadium, palco pioneiro da MLS e casa até da seleção

Primeiro estádio construído para o futebol nos EUA depois de 86 anos, Historic Crew proporcionou aquela que talvez fosse a melhor atmosfera da MLS

O Historic Crew Stadium é um dos palcos mais tradicionais da Major League Soccer. A casa do Columbus Crew foi o primeiro estádio construído especificamente para receber jogos de futebol na MLS, enquanto os primórdios da liga aproveitavam principalmente as estruturas do futebol americano. E o alçapão seria reconhecido não apenas por seu pioneirismo, mas também pela força que conferia ao Crew como mandante. Até a seleção americana se aproveitou do local para mandar seus jogos nas Eliminatórias, especialmente os clássicos contra o México. Todavia, este sábado seria de despedida no Historic Crew Stadium. Depois de 22 anos, o Columbus Crew vai inaugurar uma nova casa. Assim, uma comunhão entre torcida e jogadores marcou o adeus.

O Historic Crew Stadium foi financiado por Lamar Hunt, magnata do petróleo que foi um dos maiores incentivadores do esporte nos Estados Unidos. O empresário é mais ligado ao futebol americano, já que fundou o Kansas City Chiefs e a American Football League – o troféu da conferência hoje leva seu nome. Porém, ele também seria um dos pioneiros da antiga NASL e também da MLS no futebol. Foi proprietário, além do Columbus Crew, do Kansas City Wizards e do FC Dallas. E a construção do estádio em Ohio, de certa maneira, se tornou parâmetro ao ‘soccer’ nos EUA.

O Historic Crew Stadium era o primeiro estádio em 86 anos a ser construído exclusivamente ao futebol nos Estados Unidos. E a importância de ter estruturas dedicadas ao esporte logo ficou clara, não apenas pela sustentabilidade dos projetos, como também pela atmosfera evidente nas partidas. O Columbus Crew ganhou força em seu caldeirão e criou uma identidade local, com dois títulos da liga e três troféus pela melhor campanha na temporada regular ao longo do período. Outros clubes seguiriam seus passos com o desenvolvimento de estádios próprios na MLS. Além disso, nos primeiros anos da praça esportiva, jogos de decisão na MLS e na US Open Cup aconteceram em Ohio, bem como o All-Star Game.

Mais que um palco da liga, o Historic Crew Stadium também serviu às seleções dos Estados Unidos. A Copa do Mundo Feminina de 2003 foi realizada por lá, com seis partidas da fase de grupos. Já a equipe masculina se acostumou a mandar partidas importantes de Eliminatórias em Ohio. Foram dez jogos pelo qualificatório ao Mundial, todos realizados a partir de 2000. Os cinco duelos contra o México pela competição desde então aconteceram por lá. Além do clima no alçapão e das temperaturas mais baixas na região, Columbus era um dos raros locais onde a torcida mexicana não tomava as arquibancadas e não atrapalhava o mando de campo dos americanos. Nos cinco duelos, foram quatro vitórias do US Team e só um triunfo de El Tri.

O Columbus Crew chegou a flertar com uma mudança de cidade, mas as ações da torcida para preservar o clube em Columbus barraram a vontade dos donos. Assim, a conquista da MLS dentro de casa em 2020 teve um gosto especial para os aurinegros. E, neste momento, já se sabia que o próximo passo para a evolução da agremiação seria a construção de um novo estádio que atendesse melhor as demandas comerciais. Assim, as obras da próxima casa já tinham se iniciado. Depois de dois anos, o Lower.com Field ficou pronto e será inaugurado em julho, num duelo contra o New England Revolution – primeiro adversário também na casa anterior. Este sábado então serviu para a despedida do Historic Crew Stadium.

O Columbus Crew recebeu o Chicago Fire, seu maior rival, no último jogo no estádio. Cumpriu sua parte e venceu por 2 a 0, com dois gols do atacante Gyasi Zardes. Mas o mais legal ficou mesmo para a saída de campo, com jogadores e torcedores abraçados enquanto cantavam as músicas tradicionais do Crew. Melhor ainda que a vacinação nos EUA tenha permitido arquibancadas cheias, para que a torcida estivesse presente e conseguisse engrandecer um momento tão importante ao clube.

Vale dizer que o Historic Crew Stadium continuará em pé. A partir de agora, ele vai receber adaptações para se transformar no centro de treinamentos do time e também para servir à comunidade como um parque voltado às práticas esportivas. A história do futebol nos Estados Unidos passa por ali. E fica ainda mais legal quando os próprios torcedores poderão seguir vivenciando essa história em seu dia a dia, mesmo que seja hora de seguir em frente rumo a uma nova casa.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo