O Milan começou mal sua temporada. Na estreia pela Serie A, a equipe agora comandada por Marco Giampaolo foi derrotada por 1 a 0 pela Udinese em Udine. O gol foi marcado pelo zagueiro brasileiro Rodrigo Becão, que fazia seu primeiro jogo pela nova equipe. O triunfo dos donos da casa evidenciou os problemas deste novo Milan e forçou seu novo treinador a repensar suas ideias para a equipe.

Os rossoneri não fizeram uma finalização a gol em toda a partida. O time apresentou problemas na transição ataque-defesa, exposto nas viradas de jogo, e, no ataque, Piatek ficou completamente isolado.

Apesar de ter chegado ao Milan trazendo consigo seu tão falado 4-3-1-2, Giampaolo mostrou não ser cabeça-dura. Em entrevista após o jogo, comentou a atuação e admitiu que seus novos comandados não se encaixam no sistema.

“A culpa não é deles, eles se esforçaram muito, mas eu não posso tentar transformar sua natureza. Não é esse o meu trabalho. Tenho que tirar o melhor desses jogadores e de suas qualidades”, contou à Sky Sport Italia.

A sensação, diante da atuação e das palavras de Giampaolo, é de que o trabalho tático da pré-temporada será, em sua maioria, jogado fora. O treinador diz que, até este domingo, a comissão técnica e ele não haviam visto isso tão claramente. O ex-técnico da Sampdoria achava que era apenas questão de acostumar Suso ao papel de armador atrás dos atacantes, mas reviu sua posição. “No começo, achei que a questão era só o Suso virando um trequartista, mas temos que olhar além disso, assumir alguns princípios e tentar reorganizar completamente tudo lá na frente”, projetou.

O treinador esteve bastante atento a como seu modo de jogo secou a fonte de bolas para Piatek. “Minha visão do Milan é muito diferente. Não é só Suso ou Castillejo, mas o Piatek também. Ele tem os movimentos de um centroavante.”

A falta de tradução da posse de bola em jogadas de ataque incomodou o técnico, que ainda assim reconheceu o trabalho defensivo da Udinese, que dificultou ainda mais as coisas. Entretanto, o foco maior foi mesmo no que ele, Giampaolo, pode fazer, e o treinador já assumiu mudar o esquema, até mesmo ensaiando qual poderá ser a nova formação.

“O Suso é um jogador extraordinário, mas ele provavelmente tem características diferentes, e precisamos jogá-los em suas posições naturais. Teremos que trabalhar nisso e, certamente, de uma maneira diferente, provavelmente um 4-3-3.”

Se o desempenho ofensivo desta rodada de estreia ligou um grande sinal de alerta nos torcedores do Milan, a reação imediata de Giampaolo, acenando para uma reformulação completa no time, dá esperança. Uma pena para eles que o treinador não pôde ver isso mais cedo.