Tanto quanto por seu talento, Sinisa Mihajlovic também sempre foi marcado por seu gênio forte. O craque precisou enfrentar muitas situações difíceis em sua vida, de quem nasceu em meio ao caldeirão étnico na Iugoslávia e conviveu de perto com as consequências da guerra. Lidar com o ranço nos Bálcãs foi uma constante em sua carreira, algo que influenciaria os seus rumos e até mesmo controvérsias em que se envolveu. Mas isso nunca foi empecilho para que se tornasse ídolo de diferentes torcidas, honrando as camisas de Vojvodina, Estrela Vermelha, Roma, Sampdoria, Lazio e Internazionale. Depois de pendurar as chuteiras, o veterano também construiu uma boa reputação como treinador na Itália. Mas agora precisará direcionar a sua personalidade à maior batalha de sua vida: aos 50 anos, descobriu uma leucemia.

Mihajlovic assumiu o Bologna em janeiro. Substituiu Filippo Inzaghi, ameaçado pelo risco de rebaixamento, e teve um excelente desempenho para garantir a permanência na Serie A. As perspectivas são boas para a próxima temporada, com reforços promissores trazidos pela diretoria. Contudo, nesta semana surgiu a notícia de que o sérvio enfrentaria um problema de saúde. Neste sábado, ele concedeu uma coletiva de imprensa anunciando que está com leucemia e que se dedicará ao tratamento – ao menos por enquanto, conciliando o trabalho como treinador. Ofereceu um bonito discurso sobre a maneira como encarará a vida nos próximos meses.

“Depois de alguns exames, descobri que estou com leucemia. Mal posso esperar para ir ao hospital e começar a luta. É um câncer agressivo, mas curável. Quando recebi a notícia, foi um verdadeiro golpe. Eu passei dias chorando, sua vida passa diante dos olhos. Mas essas lágrimas não eram de medo. Respeito a doença, vou encará-la com o peito estufado e olhando nos olhos, como sempre fiz”, declarou Mihajlovic. “Eu vencerei pela minha família, por meus filhos, por todos que me amam. Recebi cerca de 700 mensagens ao longo dos últimos dias, mas peço desculpas por não responder. Gostaria de ter algum tempo para mim, para jogar fora toda a negatividade, então estar pronto para voltar e começar a batalha”.

“A parte mais difícil foi tentar esconder da minha esposa. Eu estava com febre e ela não acreditava que fosse isso, porque sabia que isso não me impediria de treinar durante a pré-temporada. Ela tentou acreditar em mim… Eu disse a ela que tinha uma febre, mas estava indo a novos exames. Então, os resultados mostraram que eu estava com leucemia. Expliquei também aos jogadores e, como é natural, chorei. Disse a eles que precisamos atacar e vencer. Se nos sentarmos e tentarmos defender, seremos vencidos. Tenho que usar minhas táticas nessa batalha e estou certo, sem dúvidas, que vencerei”, complementou.

Mihajlovic se mostrou um pouco desapontado com a postura da imprensa italiana, que não preservou sua privacidade, ao antecipar a notícia: “Queria ser eu mesmo a contar para vocês esta notícia, em primeira mão. Infelizmente, isso não aconteceu, nem todos respeitaram minha decisão. Para vender 200 jornais a mais, arruinaram uma amizade de longos anos. Realizei alguns exames e eles mostraram anomalias que eu não tinha há quatro meses. Explicarei isso claramente, porque não quero pessoas especulando. Falarei a verdade, como as coisas estão e, a partir disso, o médico seguirá dando as atualizações, com minha privacidade respeitada”.

Em contrapartida, Mihajlovic exaltou a atitude do Bologna diante de seu problema. Segundo o treinador, o clube ofereceu todo o apoio assim que os resultados dos exames indicaram as alterações. Os jogadores também ajudaram a sustentar o ânimo de seu treinador.

“Gostaria de agradecer a todos no Bologna, do presidente aos roupeiros, eles me mostraram que esta é uma família e eles me amam, assim como meus jogadores. Isso é importante para mim, porque disse aos meus jogadores que ganharei esta batalha, mas preciso das pessoas que me amam ao meu redor. Eu vi isso na minha família, nos meus amigos e nos meus colegas. Chorei nos últimos dias quando vi coisas que me comoveram, mas não gosto de pessoas que vêm e choram como se tivessem pena de mim. Ninguém deve ter pena. Estou bem. A única coisa que mexe com suas emoções é o sentimento. O amor”, apontou.

E, ainda mais bacana, foi a consciência que Mihajlovic demonstrou como figura pública. Ele aproveitou o anúncio de sua doença também para conscientizar as pessoas sobre a necessidade de prevenção, realizando exames periódicos para verificar a saúde. Mesmo ele, com um estilo de vida saudável, terá que encarar a doença.

“Aposto que vocês pensavam que eu era uma das últimas pessoas que poderiam ficar doentes. Eu treino, sou grande, sou forte, fiz exames no final de fevereiro e tudo estava normal. Eu treinei todos os dias até maio, viajei para todos os cantos, joguei futebol, fiz stand up paddle, não me senti cansado, não tive dor. Estava normal. Meu pai morreu de câncer, então faço exames regulares. Se não fizesse isso, não teria apresentado sintomas por um ano. Nenhum de nós deve pensar que somos indestrutíveis. Todos pensam que não acontecerá, mas, quando acontece, é um golpe. Sua única esperança é antecipar, porque se você descobrir depois de dois meses ou de um ano, isso faz uma grande diferença”, declarou Mihajlovic.

“Como uma pessoa famosa, posso transmitir isso. Espero que eu possa ajudar outras pessoas a tomarem mais cuidado, a se prepararem e a perceberem que isso pode acontecer com qualquer um. Eu estava perfeitamente saudável em todas as maneiras e agora estou aqui. Isso muda sua vida em um instante. Tudo muda em um instante. Quando você dorme e tem um pesadelo, você acorda, mas por dias eu acordei e percebi que não era um pesadelo, era real. É mais fácil lutar quando você se cuida, faz exames periódicos e está preparado. Espero que, depois de vencer esta batalha, eu esteja apto a conversar com todos vocês e refletir sobre esse período. Infelizmente, não ganhei nada de graça na vida. Tive que lutar por tudo. E eu vou lutar por isso também”, finalizou o treinador.

Mihajlovic completou 50 anos no último mês de fevereiro. Viveu meses intensos, desde o trabalho no Bologna às homenagens recentes pelo título europeu com o Estrela Vermelha. É um personagem bastante importante no futebol italiano e no sérvio. E que agora contará com o apoio de muita gente para superar a leucemia.

*****

Estamos também no YouTube! Confira nosso último vídeo e se inscreva no canal para fortalecer o jornalismo esportivo independente em mais um meio: