O Meu Time de Botão é um podcast da Central 3, nossa parceira no podcast semanal da Trivela, que traz um convidado para falar sobre um time que marcou a sua vida. Todas as edições podem ser vistas aqui.

Por Paulo Júnior e Leandro Iamin

A Classe de 92 pode ser considerada mais que uma história de futebol. É também a história da Inglaterra dos anos 90 traduzida em desejo de sucesso, nova geração e modo de pensar, vitórias alcançadas e amizade entre pessoas muito diferentes. Alex Ferguson, escocês, espalhou olheiros para garimpar bons valores, e conseguiu excelentes jogadores, que se tornaram amigos na base do Manchester antes mesmo de se tornarem profissionais. A Classe de 92 é o tema do Meu Time de Botão da semana, na Central 3, com Leandro Iamin e Paulo Júnior.

Giggs, galês, Beckham, um astro, os irmãos Neville, Nicky Butt e o cerebral Paul Scholes foram bancados por Ferguson mesmo quando a temporada foi ruim. Nada de contratar Baggio e outros craques consagrados. Aos poucos, o Man U superou as tentações do mercado, a aposentadoria de Cantona e viu seus meninos amadurecerem ao vivo em um país machucado futebolisticamente e sedento por mostrar uma outra imagem para o mundo. Este sexteto se juntou a outros nomes marcantes como Yorke, Cole, Schmeichel e Solskjaer, e, em tempos de expansão de estádios, aumento de aporte financeiro aos clubes, nova Premier League e até, por que não, Spice Girls e a pop Lady Diana, o Manchester United achou seu rumo da forma mais simples: formando atletas.

Campeão inglês, europeu e mundial, o Manchester de Ferguson teve seu auge nestes sete anos entre a Classe de 92 e a inacreditável virada em Barcelona contra o Bayern  em 1999.

Para baixar o podcast, clique aqui.