Meu Amigo Alemão, a história do Gerd Wenzel que menos conhecemos, estreia domingo no CineFoot

Quem acompanha futebol alemão conhece Gerd Wenzel. Foi a voz da Bundesliga na ESPN Brasil durante muitos anos, agora no One Football, novo detentor dos direitos de transmissão, e também no Bundesliga no Ar da Central 3. Conhece a voz de Gerd Wenzel, o que ele pensa sobre Thomas Müller, Lucien Favre ou Joachim Löw, conhece a sua saudação característica – o “Tchau, Tchau” com dezenas de “a” – conhece também o seu rosto.

Mas não necessariamente conhece a história de Gerd Wenzel por trás do comentarista. Ou mais especificamente, antes do comentarista.

Essa história está muito bem relatada pelo curta-metragem “Meu Amigo Alemão”, com aproximadamente 15 minutos, dirigido pelo nosso colega Paulo Júnior, e com estreia marcada no Cinefoot, de graça, durante 48 horas a partir das 15h (Brasília) do próximo domingo – até 15h de terça-feira.

Começa com o garoto que sonhava com um avião de guerra que explodia antes de atingir a sua casa na Berlim Oriental, até o dia em que descobriu pela mãe que não havia sido um sonho, existiu um avião, existiram muitos aviões na Segunda Guerra Mundial, e um deles explodiu a segundos de destruir a casa da família Wenzel.

O pai defendia a cidade contra o avanço soviético quando notou que, de trincheira em trincheira, havia chegado a um quarteirão dessa casa. Decidiu desertar, abandonar a guerra e se esconder no porão até que as coisas se acalmassem. Em 1953, um ano após a sua morte, uma família judaica que havia se refugiado no Brasil convidou a mamãe Wenzel e o filho a uma aventura através do Atlântico.

Não puderam levar nenhum bem da Berlim Oriental, além das malas com roupas, e houve apreensão na travessia para o lado Ocidental, mas uma hora os Wenzels chegaram ao Brasil, e Gerd se encantou com a beleza do Rio de Janeiro. Depois, em seu primeiro jogo de futebol in loco, no Pacaembu, encantou-se com o uniforme branco do Santos que enfrentava o Palmeiras. Foi uma boa escolha porque ela lhe deu, no ano seguinte, o privilégio de se encantar com Pelé.

Crescido, o imigrante alemão estudou teologia, se tornou Pastor da Igreja Presbiteriana e, após o Golpe Militar de 1964, passou a ser perseguido pela ditadura. Foi processado, denunciado ao DOPS, preso em uma cadeia de Belo Horizonte, em março de 1969, e interrogado por um dia inteiro. Passaria por essa experiência, em nome da “averiguação”, mais duas vezes. Entrou em “estado de sobrevivência” e mudou de área, para a comunicação de empresas alemães.

Quando a TV Cultura adquiriu os direitos de transmissão do Campeonato Alemão, ainda nos primórdios do interesse pelo futebol europeu no país, foi chamado para ajudar na tradução e de repente estava de fato fazendo os jogos. Foi ali, após anos do Gerd Wenzel que menos conhecemos, que começou a história do Gerd Wenzel que tão bem conhecemos: o comentarista.

O próprio Wenzel fala sobre todos os lados da sua vida, em uma entrevista intercalada por imagens daquela época, recortes de jornais e gravações mais recentes de transmissões ou da cobertura organizada por ele da Copa do Mundo de 2006.

As plataformas digitais deram mais uma faceta a um homem com uma história fascinante. Não apenas um podcast para falar de futebol alemão no momento em que estava mais afastado da televisão, mas também um espaço em que reencontrou a sua militância social e política, diante da efervescência do Brasil e dos constantes ataques recentes à sua democracia.

Comenta, critica, debate, nunca se esquiva de lutar pela liberdade e pelo que considera certo, coloca o dedo na ferida. Basta segui-lo no Twitter – recomendo. Amigos, afinal, precisam ser honestos entre si, e o Nosso Amigo Alemão ainda tem muita coisa a dizer.

Ficha técnica:

22/11, Domingo, 15h – disponível até 24/11, terça-feira, 15h
(Mostra Competitiva de Curtas)

Produção: Lucas Borges
Montagem: Murilo Costa
Fotografia: Bruno Graziano, Paulo Junior, Pedro Tattoo
Som direto: Gabriel Mori
Edição e Mixagem de som: João Victor dos Santos
Cartaz e créditos: Deborah Santiago Guimarães
Produtora: Triumpho Filmes

.