A grande novela da janela de transferência foi Neymar. O jogador deixou claro que queria sair do PSG para voltar ao Barcelona. Só que o problema é que as duas partes tinham problemas para fazer com que isso acontecesse. Contamos como essa transferência já nasceu impossível. Muito se especulou que Lionel Messi, o principal craque do Barcelona, queria que Neymar voltasse. Em entrevista ao jornal Sport, de Barcelona, ele confirmou que queria a volta do atacante, comentou sobre como acompanhou a saga e também falou muito sobre o time, tanto da temporada passada quanto para este ano.

Avaliação da última temporada

“Na realidade, não foi um grande ano por como terminou, mas fizemos uma grande temporada até as últimas partidas. Então, Liverpool e a eliminação nos marcaram toda a temporada como ruim, quando até aquele momento estávamos bem. Tivemos dificuldade em entender o que havia acontecido em Liverpool. Só jogamos a sério o segundo tempo, demos de presente no primeiro tempo. Foi uma temporada ruim nas citações, porque só se ganhou a liga. A nível pessoal, me senti muito bem porque sempre digo que o que me interessa são os títulos coletivos. E na temporada passada não cumprimos com os objetivos”.

Bola de Ouro

“Não sei [se é favorito]. É tão raro isso da Bola de Ouro… Já não se sabe quem é favorito ou não. Ultimamente, se olha mais os resultados a nível de equipe, que não está ruim. Se dá muita importância à Champions. Outras vezes acontece com a Copa, torneio que às vezes se dá muita importância e outras vezes não. Não sei. A verdade é que não há uma linha definida em que se baseiam para definir o ganhador da Bola de Ouro. Nunca me senti favorito ou não sendo favorito. Já disse que os prêmios individuais são secundários”.

Messi na premiação da Uefa (Getty Images)

Lesão atual

“Me sinto melhor. A verdade é que foi muito ruim, porque no primeiro treinamento isso aconteceu comigo. Foi algo simples. Estive fora 15 dias e quando pensei que estava bem, em um dos treinamentos antes do Betis, senti um pouco e me abriu um pouco mais. Isso fez com que tivesse que ficar parado mais tempo e tenha que estar ainda agora parado. Me disseram que isso do sóleo [músculo da perna] é complicado, que parecia que estava bem e era traiçoeiro. Nunca havia passado por isso e agora já sei o que é. Por isso estou tranquilo e vou jogar quando realmente sentir que estou seguro e que não volte a acontecer, porque uma recaída iria precisar de muito mais tempo. Estou com muita vontade. A verdade é que já estou muito tempo parado. Assim que comecei, isso aconteceu e eu tenho realmente muita vontade”.

Previsão de volta

“Ainda estou treinando sozinho. Não tenho data definida. Vou fazendo testes. Quando estiver 100% curado. Contra o Valencia, com certeza não estarei e veremos se volto contra o Borussia [Dortmund, pela Champions] ou contra o Granada. Não tenho data definida”.

Início de temporada

“Não. Me preocupar, não. Foi um início raro por como as coisas aconteceram, porque tivemos muitas lesões que não são normais, muitos jogadores fora. Contra o Athletic, jogamos um ótimo jogo. Não é fácil jogar ali. Não pudemos definir nos últimos metros, mas tivemos o controle da partida no segundo tempo e não merecíamos. Contra o Betis, se viu uma grande equipe. A segunda parte foi muito boa. Outra vez, fora de casa nos custou contra o Osasuna. Não me preocupa, temos que ser conscientes de que não se pode começar assim. Que é muito ruim este começo e que agora, depois dessa parada, temos que fazer o clique e mudar para nos fortalecermos e ganhar partidas”.

Você assinaria ganhar a Champions e perder a liga?

Não. Assinar, não. No início da temporada, dizemos sempre o mesmo, mas é uma realidade: queremos ganhar tudo. Vamos tentar conseguir. Depois, o ano nos marcará onde estamos. Espero que nos acostumemos rapidamente e aspiremos tudo. Obviamente me encantaria ganhar a Champions porque faz muito tempo que não ganhamos e acredito que temos que voltar a ganhar a Champions como clube; em um nível pessoal, me encantaria ganhar outra. Mas não, a princípio, eu não assino. Eu gostaria de ganhar as duas”.

Rivais que se reforçaram melhor

“Acredito que todos se reforçaram e fizeram suas contratações. Acredito que o Atlético montou uma grande equipe, fez contratações muito boas. Parecia que que eles eram que tinham mais perdido jogadores, mas acabou fazendo uma grande equipe, muito boa, com muitas variantes, muito equilibrado… O Real Madrid também contratou muito bem. Mais além do que se disse, trouxe jogadores importantes como Hazard. A Juventus contratou muito bem, o City também… De modo geral, acredito que está mais equilibrado e que todas as equipes grandes são cada vez mais fortes”.

Lições das eliminações contra Roma e Liverpool

“Não por essa partida concretamente, mas pelo que vivemos muitas vezes na Champions: que uma partida ruim, por mais que tenha um bom resultado no primeiro jogo, e pode ficar fora. Que os estádios ingleses ajudam muito na dinâmica, a tudo correr bem. Sobretudo, que para ganhar a Champions é preciso fazer gol como visitante. É importantíssimo fazer gol como visitante nas partidas. É fundamental. Quando ganhamos a Champions, foi assim com todos. Lembro de todas as partidas que jogamos fora de casa marcávamos gols. Além de sermos superiores ao resto, fazíamos gols sempre. Se não faz gols de visitante, fica difícil. Eu já sabia porque é algo óbvio, mas essa partida me deixou muito mais marcado. Fazer gol como visitante é um passo importante”.

Elenco do Barcelona desta temporada é melhor?

“Não sei se é melhor ou não. No ano passado também tínhamos um grande elenco. Tínhamos um elenco muito bom. Vieram jogadores muito importantes. Hoje temos muitas variações, muitas peças de reposição, jogadores tanto no meio quanto na frente. Estamos muito bem, mas o ano nos marcará se é o melhor nível que conseguimos”.

Queria Neymar no elenco?

“A verdade é que sim, eu adoraria que Neymar tivesse vindo. Entendo as pessoas que estavam contra. E é normal por tudo que aconteceu com Ney, por como se foi e como nos deixou. É normal e lógico que haja muita gente que não queira que ele volte, mas pensando em nível esportivo, para mim Neymar é um dos melhores do mundo e obviamente nossa equipe teria aumentado as possibilidades de conseguir os resultados que todos queremos. Como algo esportivo, eu gostaria muito que ele tivesse voltado”.

Neymar e Messi no Barcelona (Getty Images)

O Barcelona fez o possível para contratá-lo?

“Não sei, sinceramente não sei se fizeram todo o possível. Não tinha muita informação de como iam as negociações para dizer se fizeram todo o possível em Barcelona. Não sei o que aconteceu dentro da diretoria. Sei o que falava com Ney, o que ele me contava de como iam as coisas. Ele tinha muita vontade de vir. Não sei se o clube realmente queria ou não. Pelo que sei, Ney tinha muita vontade. Também entendo que é muito difícil negociar com o PSG depois de todas as idas e voltas que tiveram com o Barcelona. E é difícil por se tratar de Ney, que é um dos melhores. Nunca são fáceis essas negociações. Não posso opinar, mas não sei tudo com certeza. Sei muito pelo que saía [publicado] e o que se estava dizendo. No final, nem tudo é muito claro”.

Acompanhamento da saga

“Sim, obviamente eu seguia e estava pendente porque eu gostaria que ele tivesse vindo pelo que implicaria, não só a nível esportivo, mas também pelo nível de clube e pelo que significa a nível de clubes, de patrocinadores, de imagem, de crescimento. O clube teria dado um salto também. Mas, bom, não aconteceu”.

O vestiário pediu Neymar?

“Se dizem tantas coisas… Pedir a contratação, não. Obviamente, comentando quando escutamos que Ney poderia vir, dávamos nossas opiniões se era bom ou não que viesse. Nunca dissemos que tinha que contratá-lo. Não forçamos nada. Demos nossa opinião da mesma maneira que aconteceu com Griezmann ou de outros jogadores que vieram e outros que não chegaram”.

Messi manda no vestiário?

“Eu já estou acostumado. Não é a primeira vez que escuto isso também. Estou mais do que acostumado que digam essas coisas. Ficou mais do que não é assim. Também acontece na seleção. Dizem que ponho os jogadores e os técnicos ou que o meu pai faz isso. É algo normal que acontece. Não dou mais importância. Eu sei qual é a realidade, minha função e não valorizo essas coisas”.

“Óbvio que não mando. Sou um jogador a mais. A única coisa que quero é ganhar e seguir ganhando títulos. E voltar a ganhar outra Champions porque quero consegui-la. E levar o melhor ao vestiário do que o melhor faço, que é jogar futebol”.

Dembélé

“Vejo que há muitas condições impressionantes, que podem fazer o que ele quer, que é muito jovem e que esta ano é muito importante para ele e para o salto que todo o barcelonismo quer. Deve fazer a mudança e ser profissional, colocar isso na cabeça, que seja uma meta para ele triunfar no Barcelona, como ele quer. Espero que não tenha o azar que teve esses anos, com as lesões porque no ano passado, quando mais precisamos dele, se lesionou. Espero que neste ano não passe por isso e possa demonstrar tudo que tem, que é muito. Como jogador, é impressionante”.

Dos últimos 21 contratados desde 2014/15, só seis continuam. Por quê?

“Porque é difícil jogar no Barcelona. É o maior clube do mundo e tudo o que rodeia o clube é difícil, a torcida, o entorno, o jornalismo… Não é fácil entrar e se soltar no Camp Nou. Para muito, não importa e outros sentem. Quando um está forte de cabeça e confiança, leva isso adiante; mas não são todos iguais. Nem todos assimilam as coisas da mesma maneira. Não é fácil jogar no Barcelona pelo que é o Barcelona”.

Contrato que permite sair do Barcelona de graça

“Na realidade, não posso confirmar nada porque há uma cláusula de confidencialidade nos contratos que não posso dizer nada. Se falasse, estaria descumprindo esta cláusula. Posso dizer que quero estar no Barcelona todo o tempo que possa, fazer toda minha carreira porque esta é a minha casa. Tampouco quero ter um contrato longo e ficar aqui porque tenho contrato, mas sim porque quero estar bem fisicamente, jogar e ser importante e ver que há um projeto vencedor. Quero seguir ganhando e seguir ganhando coisas no clube, quero seguir conseguindo coisas importantes. E para mim, não significa nada a cláusula ou o dinheiro. Me movo por outras coisas. O mais importante para mim é ter um projeto ganhador”.

“O contrato se fez há muito tempo. Minha ideia é seguir aqui no tempo que me veja capacidade para render e que o físico me permita. Logo, como está meu contrato não é algo que me preocupa nem algo que eu cuide, porque o meu pai trata com o presidente o com quem tenha que falar. Eu só transmito meus pensamentos. Quero ganhar. E quero ganhar com este clube. Esta é a minha casa. Não tenho intenção de sair a lugar algum, mas quero seguir competindo e ganhando”.

Confira o vídeo mais recente do canal da Trivela no YouTube e se inscreva para acompanhar os próximos assim que eles saírem!