A virada anunciada há algumas semanas aconteceu. O Bayern de Munique assumiu a liderança da Bundesliga. A duras penas, porém, o Borussia Dortmund não se entrega completamente no páreo. Os aurinegros teriam um jogo teoricamente fácil neste sábado, recebendo o ameaçado Stuttgart no Signal Iduna Park. Apesar do domínio total da partida, o time de Lucien Favre mais uma vez sofreu bastante para balançar as redes e quase entregou o resultado aos visitantes. Todavia, na base da insistência, a suada vitória por 3 a 1 ocorreu nos minutos finais. O BVB segue emparelhado no topo da tabela com o Bayern, ambos com 57 pontos. Contudo, a goleada por 6 a 0 sobre o Wolfsburg permitiu que os bávaros ficassem com um saldo de gols melhor e passasse à primeira colocação.

Eliminado dolorosamente na Liga dos Campeões, o Dortmund entrou em campo com força máxima e um time bastante ofensivo. Axel Witsel era o único volante, com uma linha de quatro meias à sua frente, além de Paco Alcácer no ataque. Os aurinegros começaram o jogo dominando a posse de bola, mas também tomando seus sustos. Como em outras ocasiões, faltava mais penetração à linha de frente, contra um adversário fechadinho. Enquanto isso, o Stuttgart apostava nos contragolpes. Mario Götze era o organizador de sua equipe, o que não adiantava muito, com os suábios travando a maioria das finalizações dos anfitriões. E a torcida da casa prendeu a respiração aos 31 minutos. Após uma linda bola de Steven Zuber, Nicolás González saiu de frente para Roman Bürki. Tirou do goleiro e a bola saiu mansamente ao lado da trave, numa enorme chance desperdiçada. Nos 15 minutos finais, um pouco mais de precisão do BVB, com Jadon Sancho e Raphaël Guerreiro forçando as primeiras defesas de Ron-Robert Zieler.

 

As notícias que vinham de Munique não eram boas, com o Bayern abrindo vantagem sobre o Wolfsburg. Botava mais pressão sobre o Dortmund. O time precisava dar uma resposta no Signal Iduna Park. E manteve a sua postura, martelando. O gol sairia aos 15 minutos, graças a um pênalti assinalado com a ajuda do VAR. Sancho foi derrubado na área e, apesar de todo o peso sobre as costas, Reus cobrou muito bem. Zieler até acertou o canto, mas não alcançou o tiro forte e bem colocado. Depois do tento, o Stuttgart saiu um pouco mais. Foi quando Alcácer poderia ter matado o jogo. O centroavante ficou em ótimas condições e tentou encobrir Zieler, mas permitiu que o goleiro fizesse a defesa. A bola não demorou a punir. Três minutos depois, os suábios já empataram. Gonzalo Castro cobrou falta em direção à área e Marc-Oliver Kempf apareceu para dar uma cabeçada violenta rumo às redes.

Os 20 minutos finais seriam de desespero ao Dortmund. O time precisou ser ainda mais ofensivo, enquanto o Stuttgart se continha à defesa, esperando alguma brecha para o contra-ataque. Alcácer quase redimiu em cobrança de falta, outra vez parando em Zieler. E quando as esperanças pareciam escorrer, veio o gol salvador, aos 38 minutos. O próprio Alcácer seria responsável pelo tento. Em uma bola que pipocou na área, com dois chutes travados, o centroavante apareceu para encher o pé. O restante do tempo se prometia desesperador, com os visitantes reforçando o ataque e os anfitriões botando mais defensores. No entanto, o BVB conseguiu manter a posse de bola no campo de ataque e matou o jogo nos acréscimos. Jogadaça de Witsel na ponta esquerda, passando a Götze. Então, o armador deu o presente para Christian Pulisic resolver. Se não valia para alcançar o Bayern, ao menos consumava o triunfo.

Com os três pontos, o Borussia Dortmund chega aos 57, mas cai à segunda colocação. O problema é o saldo, já que o Bayern passou a +35 e o BVB vai vagarosamente aos +33. Serão mais duas rodadas até o clássico da Allianz Arena, embora a tabela dos aurinegros seja mais difícil. O time de Lucien Favre visita o Hertha Berlim e recebe o Wolfsburg, enquanto o de Niko Kovac pega o Mainz 05 em casa e o Freiburg fora. O confronto direto tende a ser essencial, sobretudo ao ânimo dos concorrentes.