O Guanzghou Evergrande é um dos times mais poderosos da Ásia e provou isso levando alguns jogadores bem caros para o seu elenco. O principal deles é Ricardo Goulart, mas tem também Paulinho, volante ex-Corinthians e Tottenham, além de Robinho, Elkeson e do técnico Luiz Felipe Scolari. Por isso, entrou como favorito na final contra o Al Ahli, de Dubai, nos Emirados Árabes, time de Éverton Ribeiro. Mas se esperava que ao menos em casa, o time do Oriente Médio desse algum trabalho. Não deu. O empate por 0 a 0 deve ter sido comemorado pelos mandantes, porque foi o Guangzhou que mandou no jogo. E não venceu por muito pouco.

LEIA TAMBÉM: No dia da decisão, desbrave este mapa interativo com todos os finalistas da LC da Ásia

O jogo foi no estádio Rashid, em Dubai, para um público de pouco mais de 9 mil pagantes, capacidade do estádio. O mandante Al Ahli esperava fazer mais e embora Éverton Ribeiro tenha tentado, foram mesmo os visitantes que acabaram criando chances melhores de marcar.

Paulinho, por exemplo, teve duas boas chances em chutes de fora da área. Foi uma constante no jogo, já que os chineses atacaram muito com esse recurso. Foram oito chutes a gol do Guangzhou contra seis do Al Ahli, só que os dois acertaram o gol o mesmo número de vezes, quatro. Na posse de bola, um pouco mais para o Guangzhou, 53% a 47%. A diferença foi no tipo de chance que cada um dos times teve.

O jogo de volta será no dia 21 de novembro, daqui duas semanas, depois da data Fifa. Na China, o favoritismo do Guanzghou será ainda maior depois do empate no jogo de ida. Mas como há gols fora de casa como critério de desempate, o Al Ahli sabe que poderá empatar com gols no território adversário e ficar com a taça. Rodrigo Lima, capitão do Al Ahli e ex-Benfica, será peça fundamental nesse sentido. Ele tem feito gols importantes e gols dele na China valerão mais ainda.

Quase um ano e meio depois do desastre da Copa do Mundo no Brasil, Felipão terá a chance de levantar um título continental e ter como um dos seus principais jogadores Paulinho. Só era difícil imaginar que isso tudo seria em um time da China. O Guangzhou de Felipão, Paulinho e Goulart já é campeão chinês. Com o título continental, ainda poderá disputar o Mundial de Clubes no fim do ano. Os campeões asiáticos enfrentarão o América, do México, campeão da Concacaf. E o vencedor terá pela frente o Barcelona. Uma chance de brilhar em um palco de muitos holofotes.

Veja os principais lances deste jogo de ida da final da Liga dos Campeões da Ásia: