O Deportivo de La Coruña está por um fio. E só mesmo com uma grande dose de fé para acreditar que os galegos não serão rebaixados no Campeonato Espanhol. O time abriu a rodada nesta terça-feira ocupando a antepenúltima posição, a cinco pontos de alcançar o Levante e deixar a zona de rebaixamento. Receberia o Sevilla, em um compromisso dificílimo no Riazor, e dependia da força de sua torcida. Exatamente o que se viu nas arquibancadas, com 25 mil presentes para o duelo decisivo. O estádio pulsou com a equipe de Clarence Seedorf, mas, infelizmente, o final não foi o melhor possível. Prevaleceu o empate por 0 a 0, que aumenta a pressão sobre os blanquiazules para a reta decisiva da campanha.

Apesar do placar zerado, a partida teve muitíssimas emoções. Juntos, os dois times somaram 46 finalizações. Durante o primeiro tempo, o Sevilla teve as chances mais claras, parando no goleiro Rubén Martínez. Já na segunda etapa, o Depor cresceu. Desperdiçou duas grandes oportunidades, enquanto o grito ficou preso na garganta a cinco minutos do fim, quando Celso Borges acertou a trave. Depois do apito final, pelo menos, a torcida reconheceu o esforço do time. Aplaudiu bastante os jogadores, que fizeram de tudo pela vitória.

Encarando problemas financeiros, o Deportivo tem reagido nas últimas rodadas. Depois de quatro meses em jejum, o time voltou a vencer em abril e emendou dois triunfos nas rodadas anteriores, até empatar com o Sevilla. A sensação é de que ainda dá para se salvar, embora o calendário guarde diversas pedreiras. O Leganés, na próxima rodada, será o oponente mais acessível. Depois, só clubes da parte de cima da tabela: Barcelona, Celta, Villarreal e Valencia. Quatro pontos à frente neste momento, o Levante ainda tem um jogo a menos. Seria um milagre ver os galegos evitarem o descenso, após três temporadas consecutivas  na elite. Ainda assim, há uma multidão que crê e apoia.