Mercado da Ligue 1: 10 contratados para acompanhar na temporada 2020/21

Graças ao seu apoio, as colunas das cinco grandes ligas da Europa estão de volta, e a Tout le Foot traz informações e análises sobre o futebol francês. Faça parte do nosso financiamento coletivo no Apoia.se e nos ajude a bater mais metas.

A crise econômica consequente do coronavírus afetou o mercado e dificultou os planos de basicamente todos os clubes do futebol europeu. Os empréstimos, especialmente aqueles com opção ou obrigação de compra, foram mais numerosos que o comum, e dirigentes se esforçaram com seus orçamentos enxutos para poder recrutar. Ainda assim, vários deles conseguiram negócios interessantes, e na Ligue 1 não foi diferente.

[foo_related_posts]

Na coluna da semana, elencamos dez jogadores contratados por clubes do Campeonato Francês que acreditamos valer a pena acompanhar. Como estamos falando da Ligue 1, a “liga dos talentos”, temos vários garotos na relação, mas há também nomes mais experientes e conhecidos, ainda capazes de dar uma contribuição notável às suas novas equipes.

Não precisa nem dizer que vocês, leitores, estão mais do que convidados a acrescentar outros recrutas que acabaram não entrando na lista final, mas que têm tudo para ter uma boa primeira temporada em seus novos clubes.

Alessandro Florenzi – Roma > PSG (empréstimo)

Florenzi comemora o golaço contra o Angers (FRANCK FIFE/AFP via Getty Images/One Football)

Forçado a ser criativo no mercado para reforçar seu elenco, o PSG repôs a saída de Thomas Meunier na lateral direita com Alessandro Florenzi em um empréstimo de um ano, com opção de compra de € 9 milhões ao fim da temporada. O italiano, que tem 36 jogos por sua seleção, oferece bastante ofensivamente, assim como o belga que o precedeu, mas com ainda mais qualidade técnica. Se conseguir ficar longe das lesões que marcaram parte de sua carreira, tem tudo para dar uma contribuição significativa ao Paris, algo que já mostrou em seu início de caminhada na capital francesa, marcando um golaço na vitória por 6 a 1 sobre o Angers, na rodada passada da Ligue 1.

Michaël Cuisance – Bayern de Munique > Olympique de Marseille (empréstimo)

Michäel Cuisance, emprestado pelo Bayern ao Marseille (Divulgação/Olympique de Marseille)

Com passagem por vários grupos de idade das categorias de base da seleção francesa, Michaël Cuisance deixou a França cedo, antes de completar 18 anos, indo ao Borussia Mönchengladbach em 2017. Dois anos depois, acertou sua transferência para o Bayern de Munique. Após uma temporada na Baviera, sem exatamente encontrar seu espaço, foi atrás de minutos em campo, em uma demonstração de confiança no próprio futebol. Esteve a ponto de reforçar o Leeds de Bielsa, mas acabou por retornar à França. No Olympique de Marseille, estará em evidência para mostrar na Ligue 1 e também na Champions League algumas de suas maiores qualidades: drible curto, visão de jogo aprimorada e aptidão ofensiva, seja na busca por assistências ou em suas chegadas ao gol adversário.

Jérémy Doku – Anderlecht > Rennes (€ 26 milhões)

Doku é o novo ponta direito do Rennes (Divulgação/Rennes)

Enquanto acertava a venda de Raphinha ao Lille, o Rennes já tinha engatilhado o seu substituto. Jérémy Doku é um empolgante talento da nova nova geração belga. Com 18 anos, se destacou tanto no Anderlecht ao ponto de já ser chamado para a seleção mesmo tão jovem. Em seu segundo jogo pela Bélgica, já registrou seu primeiro gol, no 5 a 1 sobre a Islândia no mês passado. Veloz, habilidoso e vertical, Doku pode atuar pelas duas pontas, mas seu lado preferido é o direito. No bem montado Rennes, que lidera a Ligue 1 após seis rodadas e joga nesta temporada pela primeira vez a Champions League, o garoto tende a confirmar as projeções de que tem tudo para ser um talento de classe mundial.

Jonathan David – Gent > Lille (€ 27 milhões)

Jonathan David, reforço do Lille (Divulgação/Lille)

Jonathan David é outro talento bastante estimado a fazer a mudança da Bélgica para a França. O canadense, que tem 20 anos, passou os últimos dois no Gent, e a temporada passada, em especial, foi de grande destaque: 18 gols e oito assistências registradas na Jupiler Pro League em 27 partidas. Na soma de todas as competições, foram 23 tentos e dez passes para gol ao longo de 40 jogos. Seu início na França não tem sido dos melhores, é verdade, com o atacante tendo dificuldade para se adaptar à nova equipe, sem nenhum gol marcado em seis jogos. Seu potencial, no entanto, permanece o mesmo, e sua força física, aliada à velocidade nas arrancadas e ao bom posicionamento para finalizar as jogadas garantem ao Lille um bom substituto para Victor Osimhen.

Amine Gouiri – Lyon > Nice (€ 7 milhões)

Amine Gouiri, do Nice (Valery Hache/Getty Images/OneFootball)

Por mais que seja reconhecido como um grande formador de talentos, o Lyon às vezes não tem espaço para todos eles, e Amine Gouri é o principal exemplo mais recente. O jovem atacante, acompanhado de perto ao longo de sua formação por quem gosta de futebol de base, não conseguiu convencer Rudi Garcia de que merecia uma vaga na equipe. Agora, como o futebol tem dessas, o garoto de 20 anos começa bem sua aventura no Nice, de Patrick Vieira. Fez dois gols em sua estreia e, com seis jogos disputados na temporada, soma quatro participações diretas em gol (dois feitos e duas assistências).

Jeff Reine-Adélaïde – Lyon > Nice (empréstimo)

Jeff Reine-Adélaïde, emprestado ao Nice (Divulgação/Nice)

Reine-Adélaïde protagonizou uma recente entrevista bizarra ao anunciar publicamente, apenas um ano após chegar ao Lyon, que gostaria de deixar o clube em busca de mais minutos em campo. Por mais que a atitude seja reprovável, especialmente levando em conta que o meia tem apenas 22 anos, ela tem uma base: Reine-Adélaïde é um jogador de grande talento e que precisa estar em campo para dar sequência ao grande crescimento que vinha tendo no Angers. Tem uma boa contribuição defensiva, é excelente nas transições ofensivas e tem ainda boa chegada ao gol adversário. Como tivemos um mercado incomum, com menos dinheiro disponível para transferências, o máximo que ele conseguiu foi um empréstimo para o Nice, mas chega a uma equipe que luta na parte de cima da tabela e terá uma boa oportunidade de voltar a brilhar para ganhar mais projeção no mercado. E, quem sabe, até mesmo voltar para o Lyon em busca de seu espaço, já que Rudi Garcia parece balançar no cargo de treinador.

Lucas Paquetá – Milan > Lyon (€ 20 milhões)

Lucas Paquetá assinou com o Lyon até 2025 (Divulgação/Lyon)

Buscando seguir os passos de Depay, que fracassou em sua primeira oportunidade em um gigante europeu e rumou ao Lyon para recuperar a autoestima, o bom futebol e, por fim, atingiu seu potencial e entrou no radar de grandes clubes novamente, Lucas Paquetá deixou o Milan e reforçou o Lyon. Será interessante acompanhar como o brasileiro se sai em um clube de prateleira menor, mas grande cobrança e em um campeonato com um nível competitivo bom, mas mais acessível que o italiano. Paquetá estará cercado de um meio de campo talentoso, que conta com Bruno Guimarães, Maxence Caqueret e Houssem Aouar – embora este último, ao menos inicialmente, seja um concorrente direto por uma vaga na equipe.

Kevin Volland – Bayer Leverkusen > Monaco (€ 15,5 milhões)

Kevin Volland, do Monaco (Valery Hache/AFP via Getty Images/OneFootball)

Kevin Volland ainda não balançou as redes nos quatro jogos que fez pelo Monaco, mas tem mostrado um bom entendimento no ataque com Wissam Ben Yedder e suas atuações têm sido promissoras a uma equipe ainda em início de projeto, sob o comando de Niko Kovac. Com passagem pela seleção alemã, traz bastante aos monegascos com sua experiência, mas também com sua entrega e o espírito solidário que fortaleceu ao longo dos últimos anos pelo Bayer Leverkusen.

Adil Aouchiche – PSG > Saint-Étienne (livre)

Adil Aouchiche, do Saint-Étienne (Divulgação/Saint-Étienne)

Destaque da França no Campeonato Europeu Sub-17 de 2019, em que terminou como artilheiro, e no Mundial da categoria no mesmo ano, Aouchiche é uma das principais promessas do talentoso futebol francês em seu grupo de idade. Ainda assim, não enxergou no PSG, clube em que se formou, o caminho claro ao time principal e decidiu esperar o fim do seu vínculo para assinar com o Saint-Étienne. Cheio de habilidade e dono de uma ótima movimentação ofensiva, o garoto de 18 anos tem ainda como ponto forte a criação de chances aos companheiros, com cruzamentos e bolas em profundidade em seu leque. Um talento para seguir não apenas nesta temporada, mas nos próximos anos.

Andrés Cubas – Talleres > Nîmes (€ 2,9 milhões)

Andrés Cubas, do Nîmes, marcando Maxwel Cornet, do Lyon (Ean-Philippe Ksiazek/AFP via Getty Images/OneFootball)

Revelado pelo Boca Juniors em 2014, Andrés Cubas rodou um pouco pelo futebol argentino antes de enfim conseguir sua primeira verdadeira chance no futebol europeu. Exceto por um curto empréstimo ao Pescara, onde disputou apenas uma partida de Serie A em 2017, jogou apenas na Argentina, com as camisas de Boca, Defensa y Justicia e, nos últimos dois anos, Talleres de Córdoba. É mais um da série de volantes rápidos e combativos, daqueles que fazem sombra aos adversários e estão prontos para beliscar a bola de volta à sua equipe. Além disso, tem também qualidade na saída de bola, se desvencilhando com certa destreza dos oponentes. Em seu início de temporada pelo Nîmes, tem impressionado e já deixou até mesmo um gol, em chute de média distância após sobra de um escanteio. Tem futebol para jogar em uma equipe maior que os Crocodilos no cenário europeu. Tudo dependerá, é claro, do que mostrará daqui em diante.