Parece inacreditável dizer que o Manchester United fez a sua melhor partida na Premier League contra o Tottenham. Isso porque o placar de 3 a 0 para os Spurs, mesmo jogando em Old Trafford, sugere uma paulada do time de Londres. De fato, depois do primeiro gol, foi mesmo. Até então, os Diabos Vermelhos faziam um bom jogo, equilibrado. Os problemas defensivos do time de José Mourinho ficaram ainda mais evidentes, enquanto a organização do Tottenham foi muito superior. O placar de 3 a 0 pode até ser um pouco cruel pelo que foi o primeiro tempo, mas o Tottenham foi superior, no fim.

LEIA TAMBÉM: O Crystal Palace de 1990/91: Quando as Águias se intrometeram entre as potências do país

O técnico José Mourinho faz diversas mudanças no time que perdeu do Brighton, na rodada anterior. Nemanja Matic voltou ao time no lugar de Andreas Pereira, Antonio Valencia no lugar de Ashley Young, Phil Jones e Chris Smalling nos lugares de Victor Lindelof e Eric Bailly. Anthony Martial também foi sacado do time e entrou Ander Herrera, além da saída de Mata e a entrada de Jesse Lingard.

Pareceu funcionar. O jogo começou com o Manchester United tentando fazer aquilo que se espera dele: ser o protagonista do jogo. Aos 15 minutos, Danny Rose recuou mal a bola para o goleiro Lloris e Lukaku interceptou, driblou o goleiro e tocou de pé direito para fora. Inacreditável o gol perdido. Fred também teve uma chance, aos 29 minutos, depois de uma troca de passes. Pogba também teve uma chance, em um chute de fora da área. O Tottenham chegava menos, mas ainda ameaçava com a velocidade de Lucas e a capacidade de Harry Kane.

No início do segundo tempo, tudo parecia que continuaria igual. Pogba chutou de fora da área levando perigo, naquele que era o 11º chute do United no jogo. O time de Mourinho era melhor àquela altura do jogo. Só que tudo mudou rapidamente. Aos cinco minutos do segundo tempo, Eriksen explorou o espaço atrás de Luke Shaw no lado esquerdo da defesa do United, recebeu com alguma liberdade e arrancou um escanteio. Na cobrança, Kane cabeceou com precisão, tirando de De Gea, e abrindo o placar: 1 a 0 Tottenham.

Antes do United se dar conta do problema, o Tottenham aproveitou e marcou o segundo, dois minutos depois. Grande jogada de Eriksen pela esquerda, que cruzou rasteiro e Lucas Mouras chutou, dividindo a bola, e acertou o canto: 2 a 0 e uma montanha para os mandantes escalarem se quisessem voltar ao jogo. E não voltaram.

Os dois gols foram baldes de água gelada no time, que sentiu muito o golpe. Mourinho fez mudanças, tentando devolver o time ao jogo. Vieram para o jogo Alexis Sánchez, Victor Lindelof e Marouane Fellaini. Teve pouco efeito. O time pareceu derreter em campo. Muitos erros individuais, inclusive da defesa. No primeiro gol, Phil Jones não conseguiu marcar Kane. No segundo, além do buraco na marcação de Shaw, uma liberdade para Lucas finalizar.

Aos 20 minutos, Lindelof recuou mal para De Gea, Dele Alli tirou do goleiro e se desequilibrou, quando chutou, o espanhol defendeu. O Manchester United parecia sem rumo em campo. O time tentava chegar à frente como possível, mas pouco fazia. Parecia entregue à própria sorte. Até que aos 39 minutos do segundo tempo, a pá de cal. Lucas recebeu em velocidade de Kane, passou pela marcação de Smalling e finalizou cruzado, forte, sem chance: 3 a 0.

No apito final, parte da torcida do United já tinha ido embora de Old Trafford. Ao final do jogo, muita comemoração do Tottenham e sua torcida, seu técnico e de Lucas, muito comemorado pela torcida. A torcida do United que ainda estava no estádio pareceu apoiar Mourinho. O técnico aplaudia a torcida, que o aplaudia de volta. No jogo, o seu pedido por um zagueiro pareceu ganhar mais força, porque nenhum zagueiro do Manchester United parece confiável no momento. Na queda de braço com o diretor esportivo Ed Woodward, parece que quem mais perde é o clube.

Para o Tottenham, o jogo é um excelente sinal que a equipe está bem montada para brigar no alto da tabela. Lucas é uma arma importante que o time ganha, especialmente na ausência de Son, com a seleção sul-coreana. Enquanto isso, o Manchester United parece perdido, sem rumo e com um time desorganizado em campo. Especialmente neste jogo contra o Tottenham, os jogadores foram especialmente mal, individualmente falhando muito. É difícil saber o que acontece, se os jogadores não entendem o que quer Mourinho, se não conseguem executar o que ele pede, ou se o que Mourinho pede é insuficiente. O que se sabe é que o time vive uma péssima fase. E que não parece perto do fim.


Os comentários estão desativados.