A Federação Grega de Futebol foi irredutível diante da manifestação racista de Giorgios Katidis  neste sábado, em partida do AEK Atenas. O meio-campista fez uma saudação nazista à torcida logo após marcar o gol da vitória sobre o Veria, pelo Campeonato Grego. Pela atitude, o jogador de 20 anos foi banido da seleção nacional pelo resto da vida.

Segundo a entidade, a atitude de Katidis foi “um profundo insulto com todas as vítimas das atrocidades nazistas”, condenando o jogador categoricamente. A punição foi votada em decisão unânime do comitê executivo da federação em reunião extraordinária.

O AEK Atenas, por sua vez, exigiu um pedido de desculpas a Katidis e afirmou que seu futuro no clube ainda será decidido. Técnico da equipe, Ewald Lienen defendeu o jogador: “Ele é jovem e não tem ideias políticas. Ele deve ter visto essa saudação na internet sem saber o que significa. Estou certo que ele não sabe o que fez. Estava chorando nos vestiários ao ver a reação que causou”.

Pelo twitter, Katidis se retratou: “Eu não sou racista de qualquer maneira. Eu  abomino o fascismo e não teria feito isso se soubesse o que significava”. Além disso, ele afirmou que estava apontando para Michalis Pavlis, companheiro lesionado que assistiu ao jogo das arquibancadas. Embora nunca tenha atuado pela seleção principal, Katidis passou pelas equipes de base da Grécia. Este foi seu primeiro gol como jogador profissional.