McKennie, americano do Schalke 04, pede justiça para George Floyd: “É bom poder usar minha plataforma”

O Schalke 04 não impediu que sua sequência negativa continuasse neste sábado (30), sendo derrotado por 1 a 0 pelo Werder Bremen, que apenas luta para escapar do rebaixamento. Ainda assim, a ocasião não foi completamente desperdiçada. Como ele mesmo descreveu em seu Instagram mais tarde, Weston McKennie, jogador norte-americano do clube de Gelsenkirchen, usou sua plataforma e vestiu uma braçadeira com a mensagem “Justiça para George”, em alusão a George Floyd, negro de 46 anos morto por um policial branco em Minneapolis, nos Estados Unidos, na segunda-feira (25).

[foo_related_posts]

Como todos os jogadores da Bundesliga, McKennie carregava no braço uma faixa preta, homenagem recorrente dos atletas da competição às vítimas do Coronavírus. Porém, as tragédias parecem se acumular, e, simbolicamente, sobre a faixa, o meia vestia também uma braçadeira com a frase em homenagem ao homem sufocado pela polícia, em ação que virou estopim para uma série de protestos espalhados por diversas cidades nos Estados Unidos.

Após a partida, McKennie estendeu a cena vista no jogo para o seu Instagram, publicando uma imagem sua durante o duelo e escrevendo que “é bom poder usar minha plataforma para chamar atenção para um problema que existe há tempo demais! Precisamos nos posicionar por aquilo em que acreditamos, e eu acredito que está na hora de sermos ouvidos”.

Revelado pelas categorias de base do Schalke 04, McKennie, norte-americano, tem um passado bastante entrelaçado com a Alemanha. Seu esporte preferido logo cedo na infância era o futebol americano. Filho de militar, teve que se mudar para o país europeu quando tinha apenas quatro anos, enquanto seu pai foi servir em uma base em Otterbach, no estado da Renânia-Palatinado. Sem conseguir encontrar times de sua faixa de idade para praticar o esporte, deu uma chance ao futebol, que acabou lhe abrindo muitas portas.

Apesar de ter voltado para os Estados Unidos, onde passou sete anos nas categorias de base do FC Dallas, acabou sendo levado de volta para a Alemanha em 2016, quando o Schalke, que acompanhava seus passos desde a infância na Europa, lhe fez uma proposta.

Mesmo tão jovem e já há quase quatro anos distante de seu país-natal, é bacana ver McKennie entendendo o papel que pode desempenhar como alguém que tem sua voz ouvida graças aos holofotes oferecidos pelo futebol.