Clubes que contratam muitas estrelas por vezes precisam lidar com um problema bastante comum: a chamada fogueira das vaidades. Entre as vantagens de um grupo cheio de estrelas está, claro, a qualidade. Entre as desvantagens, egos e estrelas que acabam disputando espaço. Neymar parece ter ido para o PSG para ser a grande estrela, algo que ele não era no Barcelona. Neste domingo, o que vemos foi uma primeira manifestação de Kylian Mbappé que parece querer mais espaço enquanto a estrela que se tornou.

Aos 20 anos, Mbappé é um fenômeno e muito precoce. Surgiu de forma avassaladora no Monaco, com praticamente meia temporada brilhando. Na temporada seguinte, já estava no PSG como o segundo jogador mais caro do mundo, € 180 milhões (sim, foi um empréstimo de uma temporada e efetivamente só mesmo em 2018 o empréstimo foi pago e transformado em contratação definitiva).

Desde então, Mbappé cresceu, e cresceu muito. Na Copa do Mundo, foi um dos destaques da campeã do mundo França. Foi o primeiro gol de um jogador com menos de 20 anos em uma final de Copa do Mundo desde Pelé, em 1958. Foi acumulando bons desempenhos, gols e também prêmios. Passou a dividir o protagonista do PSG com Edinson Cavani e Neymar.

Nesta temporada, porém, ele foi além dos dois. Tanto Cavani quanto Neymar tiveram lesões ao longo da temporada. Mbappé foi o grande nome do time. Fez 42 jogos, 38 gols e ainda 17 assistências. Foi o segundo jogador com mais minutos em campo, 3.414, atrás apenas de Marquinhos, com 3.771. É o artilheiro da Ligue 1 com 32 gols – pode aumentar a marca no último jogo da temporada, no final da semana.

Com tantas boas atuações, não foi uma surpresa que ele tenha sido nomeado o melhor jogador do futebol francês em uma cerimônia no domingo à noite. Ele unificou dois prêmios, o de melhor jogador e o de melhor jogador jovem. No seu discurso, recebendo o prêmio, deu declarações que surpreenderam.

“É um momento muito importante para mim, eu chego a um ponto de virada na minha carreira”, afirmou Mbappé durante o prêmio. “Eu descobri muito aqui e eu acho que talvez seja o momento de ter mais responsabilidade”, continuou o atacante. “Eu espero que possa talvez ser no PSG, seria um grande prazer. Ou talvez em algum outro lugar com um novo projeto”, disse o francês.

Depois da cerimônia, na zona mista, o atacante repetiu as palavras e confirmou o que disse. “Eu disse o que eu tinha que dizer. Quando você está em uma ocasião que você pode mandar mensagens, eu acho que mandei a minha. Se eu falar mais, será demais e esta não é a mensagem que eu quero enviar”, afirmou o jogador.

Mbappé já deu demonstrações sobre ser um jogador inteligente e que se expressa muito bem. Ele parece que sabe o que quer falar e o peso do que disse. Abrir as portas para eventualmente sair do PSG é um sinal. Ele sabe que há interessados, sabe que há uma questão de vaidades no vestiário do PSG, com Neymar sendo tantas vezes criticado por sua postura, em contrapartida com Edinson Cavani, um ídolo que soube se sacrificar para o time.

Estamos no fim da temporada, com as cortinas da temporada europeia se fechando. A janela de transferência se aproxima e há uma nova temporada chegando a partir de julho. O PSG talvez precise se reformular. Neymar, mais uma vez, está com os holofotes nele depois de mais um episódio de comportamento ruim. Parece que Mbappé quis colocar pressão no PSG, ao menos um pouco, para mudar a forma de lidar com o que tem acontecido por lá.