O último dos seis jogos de Lionel Scaloni como técnico interno foi de gols de dois jogadores de quem muito se espera. Mauro Icardi e Paulo Dybala fizeram os dois gols na vitória por 2 a 0 sobre o México, em um segundo amistoso contra a equipe mexicana nesta data Fifa, em Mendoza – o primeiro jogo, em Córdoba, também foi 2 a 0. “Temos que estar felizes porque dois jogadores tão importantes como Icardi e Dybala desencantaram. Eles vão dar muitas alegrias aos torcedores”, afirmou o treinador, ainda interino. Icardi também comemorou.

LEIA MAIS: O triunfo sobre o México serviu para Icardi e Dybala anotarem o primeiro gol pela seleção

Foi a oitava partida de Icardi com a camisa da Argentina e o primeiro gol. “Nesta nova etapa e neste novo ciclo, nós nos sentimos muito confortáveis e muito bem com toda comissão técnica, com Leo [Scaloni], com todos. Se formou algo muito bonito. Eu vivi na seleção e não havia tanto companheirismo e nem tanta amizade. Isto que se criou é muito bonito da parte de todos e esperamos que possa seguir este caminho”, declarou ainda o jogador.

“Quando eu vinha para cá, não sentia isso que hoje em dia se sente, porque todos somos jovens. Antes havia muitos mais jogadores experientes e isto não se sentia. Agora há jogadores que começam de baixo, que querem o máximo, que por dizer de alguma maneira ficar bem com a comissão técnica e todos os companheiros e isto é um a mais que encontramos nestas seis partidas”, continuou o centroavante.

“Não sei se é uma questão de fome, mas todos querem o melhor para a seleção. Representar o país é o que há de mais lindo e que hoje somos todos jovens que querem construir algo para dar uma alegria à seleção, é o que estamos buscando. Eu me sinto importante aqui, e no meu clube. Se estou aqui, é porque vou bem no meu clube, e isso me enche de orgulho”, disse ainda Icardi.

Um dos grandes debates na Argentina é sobre a volta de Lionel Messi à seleção. O jogador do Barcelona combinou com a Associação de Futebol Argentino (AFA) que não jogaria pelo país nestes amistosos em 2018. “Messi? Ele é o melhor jogador do mundo e nós todos esperamos que ele volte a estar conosco, especialmente com a Copa América que está chegando”, afirmou ainda o camisa 9, já abrindo espaço para o camisa 10 – número, aliás, que não foi usado por nenhum jogador nos jogos depois da Copa do Mundo, que Messi não participou. Simbolicamente, está reservada apenas para o craque.

Logo depois do jogo, antes das declarações de Icardi, o técnico Scaloni fez elogios aos comandados. “Os jogadores jogam-se de cabeça para a bola. Assim, é difícil para nós vencermos. Aqueles que estão aqui estão felizes em fazer parte disso”, continuou. “Estou muito emocionado pela oportunidade que tive. Foi algo muito bom, não esperava. Não posso dizer mais nada. Não posso seguir falando”, disse um emocionado Scaloni. Foi perguntado sobre a continuidade do seu trabalho, que muitos já enxergam como uma possibilidade. “Isso não importa agora”.

Um dos mais celebrados pelo público, Paulo Dybala comemorou finalmente ter balançado as redes pela Argentina, depois de 18 jogos pela albiceleste. “Tirei essa zica, espero que abra o gol e venham mais”, disse o atacante, que foi ovacionado pela torcida. “Nós sentimos confortáveis, mas não depende de nós e nem de mim. Conseguimos os resultados e o que nos propusemos”, continuou Dybala. Icardi também comemorou o trabalho com Scaloni. “Estou muito contente, mais além do gol, por tudo que fizemos nestas seis partidas”, declarou o centroavante.