Jérémy Mathieu sabia que o final de sua carreira como jogador profissional se aproximava. Ainda assim, o adeus aconteceu antes do tempo planejado, de uma maneira como ninguém desejaria: com uma grave lesão no joelho durante um treinamento. Aos 36 anos, o zagueiro se viu forçado a se despedir longe do estádio, sabendo que o trabalho nas próximas semanas será duro – mas não mais com a motivação de retornar a campo. De forma emocionada, o francês comunicou o ponto final aos seus companheiros de Sporting. E, nesta sexta, os leoninos trataram de honrá-lo com uma vitória pelo Campeonato Português.

Se nunca foi um jogador de primeira linha, Mathieu merece respeito pela carreira que construiu. Revelado pelo Sochaux, despontou com a camisa do Toulouse. Porém, viveria os principais anos com o Valencia, a partir de 2009. O defensor foi uma das principais lideranças dos valencianos no período e defendeu a equipe por cinco temporadas. Neste momento, ganhou algumas convocações à seleção francesa e, mais surpreendentemente, descolou uma transferência ao Barcelona. A camisa blaugrana parecia pesada demais ao já veterano, mas ele teve seu espaço no Camp Nou, inclusive ao conquistar a Champions com o time de Luis Enrique e a marcar até gol decisivo em clássico. Depois de três anos, transferiu-se ao Sporting em 2017.

Já estava claro que Mathieu vivia os últimos momentos da carreira e, apesar disso, foi um dos principais defensores a passar pelo futebol português nesta década. Manteve um ótimo nível, chegando a ser o melhor jogador na decisão da Taça de Portugal em 2019. Conseguia se impor, entre o porte físico que sempre o marcou, certa capacidade técnica e uma grande dedicação. Ao final de seu contrato nesta temporada, era certo que Mathieu penduraria as chuteiras. A pandemia postergou um pouco seus planos. Até a impiedosa contusão, uma entorse no joelho que lesionou seus ligamentos.

Mathieu não demorou a confirmar que este seria o fim. “Pensava em terminar a minha carreira de outra forma, mas faz parte do futebol. Lesionei-me esta manhã num duelo. Queria tanto terminar dentro do campo, mas o destino decidiu de outra maneira. De qualquer forma, passei 19 anos a viver a minha paixão intensamente, com altos e baixos, alegria e choro, vitórias e derrotas e troféus incríveis. Diverti-me muito a fazer o que amo e sempre amarei. Uma nova vida vai começar daqui a um mês. Mal posso esperar por estar lá e poder aproveitar um pouco mais da vida sem restrições”, escreveu, em suas redes sociais.

Já no centro de treinamentos do Sporting, a mensagem seria mais emotiva. A conversa com os companheiros teve olhos marejados do zagueiro e um claro lamento por ser daquela maneira. “É difícil despedir-me assim. Queria jogar em casa um último jogo. Mas, bom, a vida continua. Foi um prazer vestir esta camisa, um prazer jogar com vocês e desfrutar cada momento”, salientou. Recebeu tão logo uma homenagem, com seu nome escrito com bolas no gramado e uma camisa com o número 106, referência ao total de partidas que disputou pelo clube.

Já nesta sexta, os tributos aconteceram durante a vitória por 3 a 1 sobre o Belenenses SAD. Os jogadores do Sporting entraram em campo com o nome de Mathieu às costas. Quando a bola rolou, Sebastián Coates exibiu a camisa do companheiro na comemoração do gol de empate, antes que o garoto Jovane Cabral anotasse os dois tentos que garantiram o triunfo. “Grande parte desta vitória vai para o Jérémy, foi um companheiro muito importante no Sporting e é emocionante falar disso. Vamos tentar ganhar todos os jogos para dedicar a ele”, declarou Coates, na saída de campo. O carinho dos sportinguistas indica que, mais importante que a própria carreira de Mathieu, é o exemplo que deixou às pessoas ao seu redor.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore