Pontos corridos ou mata-mata? Se a discussão perdura no Brasileirão, quem gosta da velha fórmula pode se deleitar com as divisões inferiores do futebol nacional. Afinal, as Séries C e D mantêm os mata-matas muito vivos, e se aproximam das definições. Enquanto os primeiros clubes da terceirona confirmaram a vaga nas quartas de final, a quarta divisão já tem desenhada os seus cruzamentos nas oitavas. O final de semana no “Brasil profundo”, aliás, contou com vários resultados importantes, inclusive nos estaduais que ainda perduram. É o Brasil além da Série A, confira:

SÉRIE B

A boa fase que se reflete nas arquibancadas

Joinville

O público médio da rodada da Série B não foi tão bom. O número de torcedores por jogo não passou dos 5,8 mil. E quem mais ajudou a elevar essa quantidade foi justamente o líder Joinville. Mantendo a promoção no valor dos ingressos realizada nas últimas partidas, o clube catarinense levou 11 mil espectadores à arena na partida contra o Atlético Goianiense. Quem foi às arquibancadas gostou do que viu: o JEC derrotou os visitantes por 2 a 0, mantendo a primeira colocação na tabela. Já o pior público foi em Varginha, com o Boa Esporte levando apenas 1,2 mil pessoas ao Melão na vitória por 1 a 0 sobre o Paraná.

O antigo líder só despenca

O Ceará chegou ao topo da Série B e via o acesso se tornar cada vez mais próximo. No entanto, a boa fase parece ter subido à cabeça do Vovô, que só despencou desde então. Já são três jogos sem vitória na segundona, fase ruim contraposta com a ascensão dos clubes que o ultrapassaram. Na última sexta-feira, os alvinegros tiveram um jogo duro no Castelão e dependeram de dois gols do artilheiro Magno Alves para buscarem o empate por 2 a 2 com o vice-líder. Com 43 pontos, os cearenses estão a três de entrar no G-4.

A luta do América para escapar da degola começou

O América Mineiro perdeu 21 pontos na Série B, após escalar de maneira irregular em quatro partidas o lateral Eduardo. E, com o recurso negado pelo STJD, o Coelho sabe que terá que se empenhar em campo para se recuperar na tabela. Jogado da parte de cima da tabela à última posição, o time conquistou a primeira vitória desde a punição, encerrando série de quatro derrotas consecutivas. Bateu o Vila Nova por 1 a 0, gol de pênalti de Obina. Agora os americanos somam 15 pontos, a 11 de saírem do Z-4.

Macaca de volta à Série A?

Um dos times que mais tem chamado a atenção neste início de segundo turno na Série B é a Ponte Preta. Os campineiros venceram os seus últimos três jogos e se firmaram no G-4, ocupando a terceira colocação. Depois de bater Luverdense e ABC, a Macaca atingiu a marca com uma goleada: enfiou 5 a 1 sobre o Oeste no Moisés Lucarelli. O destaque da partida foi o atacante Alexandro, autor de dois gols. Na próxima rodada, a chance da quarta vitória consecutiva: a Ponte visita o Vila Nova, penúltimo colocado.

SÉRIE C

Show do Tupi e a classificação

Tupi

A fase do Tupi na Série C é inspirada. São quatro vitórias seguidas da equipe de Juiz de Fora, com 13 gols marcados e nenhum sofrido. No último final de semana, a goleada foi sobre o São Caetano, fortemente ameaçado de rebaixamento. O Galo Carijó enfiou 4 a 0 no Azulão em Minas Gerais, com direito a mais um tento do ídolo Ademílson. Líder do Grupo B com 30 pontos, o Tupi já está garantido nas quartas de final do torneio.

O Guarani reagiu, mas o Mogi Mirim também avançou

Outro com vaga assegurada no Grupo B da terceirona é o Mogi Mirim. Os alvirrubros visitaram o Guarani (que, com o Brinco de Ouro da Princesa interditado, jogou em Americana) e ficaram com o empate por 3 a 3, embora tivessem a vitória nas mãos. O Sapão abriu três gols em 22 minutos, mas permitiu que o Bugre tirasse a diferença antes da meia hora inicial. Já o empate milagroso saiu aos 50 minutos do segundo tempo, com o veteraníssimo Fumagalli, que havia dado duas assistências. Ao apito final, ainda houve muita reclamação do elenco do Mogi Mirim contra a arbitragem, afirmando que o gol saiu depois do tempo adicional prometido. Nada feito. Na oitava posição, o Guarani respira um pouco mais na luta contra o rebaixamento.

Fortaleza volta a brilhar

Já a melhor a equipe da Série C, após 16 rodadas, é o Fortaleza. O Tricolor estava em jejum nas três últimas rodadas, mas se reencontrou com as vitórias em grande estilo: enfiou 4 a 0 no Treze, que foi visitar os cearenses no Castelão. Entre as figurinhas carimbadas que balançaram as redes pela equipe estão Marcelinho Paraíba e Robert. Com apenas uma derrota no certame, o Fortaleza também confirmou sua passagem às quartas de final, liderando o Grupo A com 31 pontos.

SÉRIE D

Oitavas de final conhecidas

A primeira fase da Série D chegou ao fim. E o chaveamento do torneio nas oitavas de final já está confirmado. Os confrontos serão os seguintes: Central-PE x Confiança-SE, Metropolitano-SC x Tombense-MG, Santos-AP x Londrina-PR, Ituano-SP x Moto Club-MA, Anapolina-GO x Rio Branco-AC, Remo-PA x Brasiliense-DF, Operário-MT x Brasil-RS, Globo-RN x Jacuipense-BA. Terão vaga na Série C os quatro semifinalistas.

O gol de goleiro que classificou o Santos

A vitória mais emocionante na rodada final da Série D foi a do Santos. Os amapaenses visitaram o Princesa dos Solimões e voltaram do Amazonas com uma épica vitória por 3 a 2, ficando à frente dos adversários na tabela graças ao saldo de gols. Após tomarem a virada no primeiro tempo, os alvinegros precisavam da vitória para avançar. Conseguiram aos 39 minutos da etapa final, com um tento de falta do goleiro Diego. Frustração total para os 1,8 mil torcedores que assistiram ao jogo em Manaus.

A Alemanha piauiense não funcionou

Em uma rodada que deveria ser tensa pelas classificações, a Série D foi repleta mesmo de goleadas. Cinco triunfos contaram com pelo menos quatro tentos para o time vitorioso. O maior massacre foi protagonizado pelo River, que atropelou o Guarany de Sobral por 7 a 1 e, tal qual a Alemanha na Copa do Mundo, anotou quatro gols em 15 minutos, mas mesmo assim não se classificou. Em Roraima, apenas 80 pessoas viram os 6 a 0 sofrido pelo São Raimundo diante do Rio Branco do Acre, que confirmou a primeira posição do Grupo A.

Acusações de marmelada no Rio

Metropolitano

Já no Rio de Janeiro, os 6 a 0 engolidos pelo Boavista contra o Metropolitano não caíram bem. Após a partida, houve quem acusasse o resultado de manipulação. Os catarinenses chegaram com chances de classificação no Grupo 8 ao lado de Penapolense e Pelotas. E, com os paulistas batendo os gaúchos por 4 a 0, o Metropolitano precisava vencer justamente por cinco ou mais gols de diferença para avançar. As duas equipes ficaram com os mesmos 12 pontos, mas com o clube de Santa Catarina levando a melhor no saldo de gols. Após a partida, membros do Boavista afirmaram que o time foi prejudicado pela arbitragem.

A arrancada do time de dois técnicos

Entre os classificados, um dos clubes de menos tradição em campeonatos nacionais é o Globo. Os potiguares emendaram três vitórias consecutivas e, na rodada final, superaram o Porto, adversário direto pela vaga. Entre as peculiaridades da equipe está o fato de contar com dois comandantes. Após a saída do técnico Higor César durante a semana, dois nomes emergiram nos vestiários: o de Ivanildo Freitas, treinador do sub-19, e o do zagueiro Robson, que preferiu ficar no banco para orientar a equipe. A divisão nas decisões não atrapalhou, com a vitória por 1 a 0 sobre os pernambucanos.

Lembra-se do Geílson? Ele apareceu

Geílson nunca foi dos atacantes mais confiáveis. Mas, em dívida com a torcida do Operário de Várzea Grande, o veterano compensou ao colocar a equipe nas oitavas da Série D. Depois de perder algumas boas oportunidades e um pênalti, o medalhão conseguiu se recuperar e anotou dois tentos na vitória por 3 a 2 sobre o Goianésia. O atacante Nonato, outro velho conhecido do futebol brasileiro, também balançou as redes para os goianos, que acabaram eliminados.

OUTROS CAMPEONATOS

Rodrigo Gral ainda existe, e decide

RodrigoGral

Grande promessa das seleções de base. Assim Rodrigo Gral era tratado quando surgiu no Grêmio, em meados da década de 1990. Da descoberta da adulteração da idade ao gol 500, muito se passou na carreira do atacante. E, aos 37 anos, ele continua jogando, após passagens que vão do Flamengo a Brunei. Em agosto, Gral foi apresentado como reforço do Juventus de Seara, da terceira divisão catarinense. Vai balançando as redes na luta pelo acesso. Neste domingo, o veterano marcou o gol da vitória sobre o Barra, que coloca o Juventus na decisão do primeiro turno da terceirona. O caminho do gol não se esquece.

O presente do Mequinha é o passado

Independente da fase atual, o America possui uma camisa de tradição. História escrita ao longo de 110 anos, em aniversário comemorado na última quinta-feira. Porém, a realidade dos alvirrubros é bem mais modesta do que as lembranças possam sugerir. Limitado à segunda divisão do Campeonato Carioca, o Mequinha atualmente disputa a Copa Rio. E o seu presente não foi dos melhores. No sábado, a equipe visitou o Nova Iguaçu pela quarta rodada da primeira fase. Ficou apenas no empate por 1 a 1. Dois pontos atrás do Volta Redonda, primeiro colocado do Grupo A, o America ainda busca a classificação para a próxima etapa.

A decisão dos golaços no RJ

Gonçalense

A terceira divisão do Campeonato Carioca é decidida com um duelo municipal. São Gonçalo e Gonçalense (que, na verdade, adquiriu o Tanguá em novembro do ano passado) fazem a decisão da Série C, com os acessos já confirmados. E o primeiro confronto foi repleto de golaços. O Gonçalense venceu por 2 a 1, com destaque para a pintura anotada por Bernardo, que fez fila na defesa adversária e concluiu por cobertura. Vale conferir o vídeo.

Tradição contra empresários na 4ª divisão do Paulistão

Neste domingo, a quarta divisão do Campeonato Paulista encerrou a sua terceira fase, confirmando os oito clubes que brigarão pelas quatro vagas de acesso à Série A3. E os sobreviventes contrapõem tradição e investimentos de empresários. Entre as camisas mais conhecidas estão as de Portuguesa Santista e Nacional. Já Grêmio Prudente e Taboão da Serra estão do outro lado da força, relacionados ao apoio de prefeituras e agentes de jogadores. Na etapa final, a chave com Olímpia, Primavera, Grêmio Prudente e Nacional é chamada de grupo da morte.

Na Copa Paulista, camisa não pesa tanto

Já os clubes paulistas que estão um pouco acima na hierarquia do futebol estadual, mas em nenhuma divisão do futebol nacional, encerraram neste final de semana a participação na primeira fase da Copa Paulista. Entre os clubes que decepcionaram e caíram logo cedo no torneio estão alguns tarimbados. No Grupo 2, Rio Branco, União Barbarense e Paulista se despediram precocemente. No Grupo 3, por sua vez, não houve espaço para São José, Juventus e Taubaté. O melhor time desta etapa inicial foi o Botafogo, seguido pela Ferroviária.