Em uma ação digna de todo reconhecimento, o Olympique de Marseille anunciou que, durante as duas próximas semanas, abrirá o seu centro de formação, o L’OM Campus, a estudantes carentes da região que não poderão viajar durante as férias de verão.

A ação faz parte do projeto “Escolas Abertas”, iniciativa criada pelo governo francês em 1991 para oferecer atividades a crianças de famílias vulneráveis, que não têm condições financeiras de viajar para outras cidades e países durante o verão.

No caso do Olympique de Marseille, o seu centro de formação, que dispõe de vários campos onde costumam treinar e jogar as equipes de categorias de base e o time feminino, será aberto para que cerca de uma centena de estudantes possam participar de diversas atividades.

Jogar futebol, é claro, está no centro de tudo isso, mas as crianças poderão também saber mais sobre o trabalho feito no clube, com profissionais das mais diversas áreas falando um pouco sobre o seu ofício e tudo o que envolve o funcionamento de um clube profissional, além de participar de diferentes oficinas.

Presidente do Marseille, Jacques-Henri Eyraud afirmou que, pela importância que tem na cidade, o clube “deve assumir sua responsabilidade social”.

“Somos totalmente solidários com o povo de Marselha, que foi duramente atingido pela crise, e nos parece normal dar às nossas crianças um espaço para respirar, especialmente quando o futebol parou. O L’OM Campus é feito para ressoar gritos de alegria, esperamos que as crianças do programa ‘Escolas Abertas’ o façam vibrar novamente.”

O precedente e o exemplo estabelecidos pelo Olympique de Marseille são um dos melhores exemplos de qual o papel que um clube de futebol pode ter para a sociedade que o circunda e lhe dá em si o sentido de existir. Que seus homólogos estejam tomando nota.