Um dos assuntos mais falados nas últimas semanas na Itália é a situação de Mauro Icardi na Internazionale. O jogador chegou a ficar afastado do time depois de perder a braçadeira de capitão, em fevereiro – o jogador alegava estar machucado, algo não confirmado pelo clube. Ele voltou nas últimas partidas e a Inter está próxima de garantir a sua classificação à Champions League na próxima temporada. Giuseppe Marotta, conhecido também como Beppe Marotta, executivo-chefe da Inter, falou sobre a situação do atacante, que é especulado para deixar o clube com destino a Real Madrid ou Atlético de Madrid, para citar dois dos clubes falados.

Beppe Marotta foi perguntado qual era a porcentagem de chance de Icardi continuar. “Não dá para fazer porcentagens”, disse o dirigente, em entrevista à rádio Anch’io Sport. “O rapaz está ganhando experiência profissional e é um trunfo para a equipe. Ele tem ainda dois anos restantes do seu contrato, nós estamos falando sobre um dos melhores atacantes por aí”.

“Faremos avaliações quando for a hora certa. A vontade do clube é importante, mas a do jogador é crucial”, disse Marotta. “Os jogadores não precisam ser amigos à força, mas eles precisam ser profissionais e atingir seus objetivos estabelecidos pelo clube. O gesto de ontem [domingo, 14] mostrou que há união no vestiário”.

O gesto a que se refere o dirigente foi Icardi, batedor oficial de pênaltis da Inter, ceder a cobrança a Ivan Perisic, na vitória sobre o Frosinone por 3 a 1. Foi o segundo gol do time na partida. Havia rumores que os dois jogadores tinham divergências e não se davam bem.

“O valor de Mauro é claro, apesar de neste momento ele estar focado no seu desempenho”, disse ainda o dirigente dos nerazzurri. Ele foi perguntado sobre rumores de uma troca entre Icardi e Paulo Dybala, da Juventus. “Dybala é forte, também do ponto de vista humano. Contudo, como Icardi, nós estamos falando de dois profissionais sérios”, limitou-se a responder o dirigente.

Mauro Icardi tem contrato até junho de 2021, com uma multa de € 120 milhões. Ele é um dos melhores jogadores da Inter nos últimos anos, sendo artilheiro da liga italiana duas vezes (2014/15, 2017/18).

“A Juventus é um modelo, não apenas no campo”

Beppe Marotta, da Internazionae (Foto: Getty Images)

Marotta foi um dos responsáveis por transformar a Juventus em uma força dominante na Itália, trabalhando como diretor geral, função que agora ocupa na Inter. O dirigente afirmou que os nerazzurri possuem um desejo de transformar a Inter em um clube vencedor e estão trabalhando para isso.

“Eu tive algumas dificuldades vindo para cá, como sempre acontece quando se troca um clube por outro”, afirmou Beppe Marotta. “Acima de tudo, eu posso garantir experiência. Como clube, nós temos a mitigação de termos alguns donos em um espaço de alguns anos”, disse, comparando à Juventus, que tem como donos a família Agnelli há décadas.

“Ironicamente, é mais fácil ter sucesso na Champions League do que na Serie A, apesar que não temos controle sobre tudo ainda”, afirmou ainda Marotta. “Eu estou convencido que a Juventus continuará liderando por mais alguns anos, porque a diferença econômica é muito grande. Os bianconeri são um modelo de referência, não apenas no campo”.

“O desejo do clube é melhorar ano após ano. Nós queremos melhorar o time com jogadores com uma mentalidade vencedora. Nós estamos negociando com Godin, alguém que tem essas características. Eu repito, a família Zhang quer fazer bem, apesar dos limites do Fair Play Financeiro”.

Um dos assuntos da entrevista foi a permanência de Luciano Spalletti. O técnico da Inter é questionado e há muitas especulações sobre uma possível troca, com nomes como José Mourinho, Antonio Conte e até Maurizio Sarri especulados. “Ele tem dois anos restantes no seu contrato e o estime está no caminho dos objetivos que estabelecemos”, afirmou. “Ele não é um novato, ele provou ser capaz de fazer o seu papel. Os rumores de Conte vêm do fato de ele estar desempregado e ter um perfil vencedor”, continuou. “É normal para ele ser ligado a grandes clubes”.