O técnico Marcos Paquetá já está concentrado, na Tunísia, com os jogadores da Líbia que defenderão o país contra Zâmbia, pela última e decisiva rodada das eliminatórias da Copa Africana de Nações de 2012. O jogo só acontecerá em 8 de outubro, na Zâmbia.

A federação de futebol da Líbia tomou essa decisão em conjunto com o treinador porque a liga nacional está paralisada devido aos conflitos no país. Com isso, a maioria dos jogadores está em inatividade. A Tunísia foi o local escolhido pelo fato de seis jogadores titulares atuarem no país. Por enquanto, apenas os jogadores que residem em Benghazi se apresentaram. A chegada dos atletas da capital, Trípoli, está prevista para esta quarta.

“Sabemos que o futebol fica em segundo plano com tudo o que está acontecendo na Líbia. Mesmo assim, a população está numa expectativa muito grande para esse jogo. Eles são apaixonados por futebol. Soube que houve uma festa muito grande pela nossa vitória contra Moçambique. Por isso, os jogadores estão querendo muito defender o país nesse jogo tão importante”, explicou Paquetá.

O treinador brasileiro também comentou o atual momento do país: “O fato da situação estar bem mais calma em Trípoli e em Benghazi fez com que os jogadores tivessem tranquilidade para se apresentar e trabalhar com tanta antecedência. Grande parte dos atletas está em inatividade por causa da paralisação da liga nacional”.

A delegação da Líbia ficará na Tunísia até o dia 4 de outubro. O restante da preparação será realizada na Zâmbia. Restando uma rodada para o término da competição, a seleção de Zâmbia lidera o Grupo C das eliminatórias da Copa Africana de Nações, com 12 pontos. Invicta, a Líbia está na segunda posição, com dez pontos, seguida dos já eliminados Moçambique, com quatro pontos, e Comoros, com um ponto.

Somente os primeiros colocados de cada grupo e os dois melhores segundos colocados de todas as chaves garantirão vaga na principal competição de seleções do continente africano, que será realizada em 2012, no Gabão e na Guiné Equatorial.