Marcação quase impecável salvou United de derrota

Proposta dos ingleses foi, desde o início, evitar uma derrota. Eles conseguiram, mas por um lance não saem de Donetsk com a vitória

Em meio a muitas críticas pelo pior começo do Manchester United desde 1989, David Moyes levou a campo contra o Shakhtar Donetsk uma equipe cuja proposta estava bastante clara: defender-se e evitar mais um revés. O objetivo foi alcançado, mas o fato de o gol ser marcado perto do fim do jogo acabou deixando um gosto amargo na partida para os Red Devils. Ainda assim, a consistência defensiva mostrada pelos ingleses no duelo deve ser destacada.

A partida teve um início equilibrado, e o United aproveitou cedo a única finalização a gol que teve em todo o primeiro tempo para fazer o seu tento. Depois disso, o Shakhtar dominou as ações de ataque e a posse de bola, mas esbarrou em um setor defensivo muito bem postado – e ainda reforçado por Michael Carrick, que parecia um terceiro zagueiro, de tão recuado que atuou. Cleverley também auxiliava na marcação central, e isso forçou o time de Donetsk a buscar espaço pelas laterais. Assim, Srna e Shevchuk avançaram bastante ao ataque, mas não conseguiram criar oportunidades de gol.

O segundo tempo começou como o primeiro acabou: pressão intensa e controle de bola por parte dos comandados de Mircea Lucescu e posicionamento e marcação bastante eficientes do lado dos atletas de David Moyes. Assim como a postura das equipes foi mantida, a ineficiência do ataque do Shakhtar também prosseguiu, e De Gea não teve que fazer nenhuma grande defesa. No entanto, justamente no único grande deslize do United na partida, Taison buscou o gol de empate, que fez os dois clubes encerrarem a segunda rodada dividindo a liderança do grupo A, com 4 pontos cada.

Destaque do jogo

Marcação do United – Apesar de ter concedido o gol do empate perto do fim do jogo, a defesa do Manchester United foi o ponto de maior destaque no duelo. A proposta de David Moyes era, desde o início, claramente evitar a derrota. Exceto pela falha que custou ao United a vitória, Nemanja Vidic fez partida muito boa, e Carrick e Cleverley tiveram papel essencial para bloquear os ataques do Shakhtar pelo centro.

Momento-chave

O momento determinante da partida foi justamente o do gol de empate do Shakhtar. Não apenas por definir o placar, mas porque foi a única vez em que o time conseguiu encontrar um bom espaço para finalizar. E Taison não desperdiçou a oportunidade. Vidic fazia partida muito boa, mas foi justo ele o responsável pela falha que acabou no tento dos ucranianos.

Os gols

18’/1T – Gol do Manchester United! Fellaini faz boa jogada pela direita e cruza rasteiro para Welbeck, que completa para a rede para abrir o placar.

31’/2T – Gol do Shakhtar Donetsk! Vidic falha, e Taison aproveita o deslize do sérvio para empatar para os ucranianos.

Curiosidade

A entrada de Ryan Giggs no segundo tempo da partida garantiu ao galês o topo do ranking de jogadores que mais atuaram pela Liga dos Campeões. O atleta do United estava empatado com Raúl, ex-Real Madrid, com 144 partidas cada.

Formação inicial:

Shakhtar United CampinhoF

Ficha técnica:

SHAKHTAR DONETSK x MANCHESTER UNITED

Shakhtar Donetsk
Andriy Pyatov, Darijo Srna, Oleksandr Kucher, Yaroslav Rakitskiy, Vyacheslav Shevchuk, Fernando (Ilsinho, 39’/2T), Tomás Hübschman, Taison (Bernard, 46’/2T), Alex Teixeira, Douglas Costa, Luiz Adriano (Facundo Ferreyra, 44’/2T)
Técnico: Mircea Lucescu
Manchester United escudo Manchester United
David de Gea, Rafael, Chris Smalling, Nemanja Vidic, Patrice Evra, Michael Carrick, Tom Cleverley, Marouane Fellaini (Ryan Giggs, 20’/2T), Antonio Valencia, Danny Welbeck (Phil Jones, 47’2T), Robin van Persie
Técnico: David Moyes
Local: Donbass Arena (Donestk-UCR)
Árbitro: Pavel Královec (TCH)
Gols: Welbeck, (18’/1T) e Taison (31’/2T)
Cartões amarelos: Fellaini e Vidic (Manchester United)
Cartões vermelhos: nenhum