Cerca de um mês após o retorno da Bundesliga, voltam também as competições europeias. E com isso, quatro times alemães que se classificaram para os confrontos em mata-mata voltam a atravessar as fronteiras do país, o que pode trazer consequências também na Bundesliga. Desde a progressão das equipes nas competições continentais até o aperto no calendário que esses jogos trazem, junto com as viagens feitas, até os times que não estão envolvidos, que podem tirar proveito da situação.

Trocando em miúdos, Bayern Munique e Bayer Leverkusen jogam nas oitavas de final Liga dos Campeões. Os bávaros deverão passar no confronto contra o Basel e certamente terão mais jogos. O Bayer Leverkusen, que faz uma temporada abaixo das expectativas na Bundesliga deverá ver o fim da linha contra o Barcelona na mesma fase. Na Liga Europa, Schalke 04 e Hannover 96 encaram Viktoria Plzen e Club Brugge na segunda fase. Ambos carregam certa dose de favoritismo.

Em condições normais, Bayern Munique e Schalke 04 serão os maiores prejudicados, e por motivos óbvios: concorrem ao título e poderão ter em algum momento jogos-chave nas duas competições na mesma semana, o que pode desgastar bastante os elencos. Os bávaros, que já sofrem bastante com lesões em momentos menos intensos, terão que administrar melhor a situação, mas os azuis reais, com menos peças de reposição, também deverá passar por apuros.

Para o Bayer Leverkusen, a situação é um pouco diferente.  Com uma campanha apenas mediana na Bundesliga, o time espera que um milagre aconteça contra o Barça, mas, acima disso, quer se acertar para alcançar o pelotão de cima da tabela (Borussia Dortmund, Bayern Munique, Schalke 04 e Borussia Mönchengladbach) e beliscar uma das quatro vagas para a Liga dos Campeões em 2012/13. É, no momento, a medida mais urgente que os Aspirinas precisam tomar para que a temporada não vá para o limbo de vez.

O Hannover, no entanto, não tem nada a perder. E tudo a ganhar. Se vencer e seguir evoluindo, poderá sonhar com a conquista inédita da Liga Europa, algo que seria um feito histórico para o clube. Além disso, o time também ocupa uma posição periférica na tabela – é o sétimo colocado com 30 pontos – e não tem muitas chances de títulos, embora brigue claramente por vaga na LE e possa, em um cenário otimista, lutar por um lugar na LC. O técnico Mirko Slomka, no entanto, precisa saber jogar psicologicamente com a equipe para que esse objetivo seja vislumbrado.

Quem sorri com essas perspectivas é o Borussia Dortmund. Líder do campeonato, não terá jogos extras para fazer – exceto a semifinal da Copa da Alemanha e uma possível final – e já soma 14 jogos sem perder na Bundesliga. Eliminado de maneira vexatória na Liga dos Campeões, pode aproveitar o cansaço dos rivais para abrir vantagem na briga pelo bicampeonato. Em tese, quanto mais a temporada se aproxima do fim, mais esse cansaço poderá ser determinante nos jogos decisivos, sobretudo na partida do returno contra o Bayern Munique, que será disputada em Dortmund.

O Borussia Mönchengladbach, sem preocupação nenhuma em sair da Alemanha, também vê com bons olhos o cansaço dos rivais para voltar a participar da Liga dos Campeões, competição à qual não disputa desde a temporada 1977/78, quando ainda se chamava Copa dos Campeões. Pesa contra o time, no entanto, a falta de peças de reposição no elenco, indubitavelmente o mais limitado entre os dez primeiros colocados.