O clássico entre Napoli e Juventus nesta sexta-feira deverá contar com uma presença ilustre nas arquibancadas. Na Itália para resolver problemas com a justiça, Diego Maradona deverá estar nas tribunas do San Paolo para o confronto. Perguntado sobre a situação dos partenopei, o argentino revelou o desejo de treinar seu antigo clube no futuro.

“Eu adoraria treinar o Napoli, mas não estou pensando nisso agora porque não quero desrespeitar Walter Mazzarri. Ele está fazendo um grande trabalho aqui. O presidente Aurelio De Laurentiis nunca me convidou para ver um jogo no estádio. Talvez eu tenha tempo para conversar com ele”, disse o argentino.

Já sobre Lionel Messi, Maradona ainda se manteve acima do seu ex-comandado na seleção argentino: “Espero que Messi possa ganhar a Copa do Mundo para a Argentina, o que não será fácil. No último jogo, o Milan o enjaulou. Para mim, ele é um grande rapaz, mas continuo achando que eu fui o melhor”.

Por fim, o veterano reiterou a inocência diante das acusações de sonegação fiscal: “Agora estou aqui para dizer que sou inocente e não entendo porque o fisco italiano me cobra € 40 milhões. Eu nunca cuidei de meus contratos quando jogador, sempre só quis saber de jogar. Eles podem perguntar sobre esse dinheiro para o antigo dono do Napoli, Corrado Ferlaino”.

Maradona passou sete temporadas no Napoli, conquistando dois Campeonatos Italianos, uma Copa da Itália e uma Supercopa Italiana. O argentino não treina um clube desde o ano passado, quando foi demitido pelo Al Wasl.