O futebol tem cenas incríveis de reverência a grandes ídolos, mesmo quando retornam à sua casa como adversários. O que vimos no estádio Marcelo Bielsa foi algo muito acima disso. Diego Maradona é atual técnico do Gimnasia La Plata, mas foi jogador do Newell’s Old Boys e, por isso, foi muito homenageado. Foi recebido em um corredor de aplausos, ovacionado pela torcida, discursou e o mais pitoresco de tudo: ganhou um trono para sentar-se, em vez de ficar no banco de reservas. Tratamento de rei para alguém que é o ídolo máximo do futebol argentino. Melhor ainda para Díos, seu time ainda venceu, e por goleada: 4 a 0.

Desde a sua chegada a Rosario para o jogo entre Newell’s e Gimnasia que Maradona tem sentido o carinho dos torcedores. A ponto de ele ter saído na sacada do hotel onde o seu time estava hospedado para saudar os torcedores do time que será adversário. Horas depois, recebeu dos dirigentes do Newell’s homenagens, com quadros que mostravam a sua imagem com a camisa do clube.

https://www.instagram.com/p/B4NomlzJ2dn/

Maradona teve uma curta passagem pelo Newell’s Old Boys na temporada 1993/94, quando voltou à Argentina, depois de uma temporada no Sevilla em 1992/93. Foram apenas cinco jogos oficiais pelo Newell’s, antes de sofrer uma lesão e entrar em conflito com o treinador, Jorge Castelli, que tinha substituído Jorge Raúl Solari, técnico que avalizou a sua vinda. Ele voltaria ao Boca Juniors em 1995, onde ficaria mais dois anos antes de pendurar as chuteiras, em 1997. A passagem curta de Maradona pelo Newell’s não impede que a torcida tenha um carinho imenso.

Depois de uma caminhada da entrada em campo até o meio do gramado, ovacionado, Diego Maradona recebeu as homenagens e a torcida de quase 40 mil pessoas fez silêncio para ouvir Díos. Foi aplaudido a cada frase. Com tudo isso, ainda foi difícil ouvir as exatas palavras que Maradona disse.

“Estive falando com as pessoas do Newell’s, algum dia nos veremos. Eu não falo por falar. Não quero colocar ninguém em uma situação difícil. Sou leproso e ninguém me compra. Obrigado por vir, obrigado pela recepção, obrigado por isto. Obrigado por este amor. Amanhã faço aniversário e vou compartilhar com vocês. Vou ter todos vocês gravados na minha memória. E talvez um dia eu volte a este estádio”, disse Maradona em seu discurso. “Vou voltar”.

Trouxeram um trono para onde ficaria o banco do Gimnasia. Um trono com as cores do Newell’s para Maradona, o rei. Ele assinou o trono, que será leiloado pelo clube. Foi de lá que viu o seu Gimnasia golear por 4 a 0 e sair da lanterna do Campeonato Argentino. O primeiro gol saiu aos 40 minutos do primeiro tempo, com Nicolás Contin. Depois, aos cinco minutos do Segundo tempo, Maximiliano Caire fez 2 a 0. Um minuto depois, Horacio Tijanovich ampliou para 3 a 0. Aos 11 minutos, Matías García definiu o jogo em 4 a 0. Matías que veste a camisa 10 do Gimnasia, o número que foi consagrado e eternizado por Maradona na Argentina.

 

Standings provided by Sofascore LiveScore