O atacante Mario Manduzkic decidiu se aposentar da seleção da Croácia, aos 32 anos de idade. Ele foi crucial na campanha do país na Copa do Mundo de 2018, na Rússia, levando a equipe croata até a final, mas que acabou sendo derrotada pela França. Foi de Manduzkic o gol da classificação na semifinal contra a Inglaterra, já na prorrogação. Ele também marcou um gol na final.

LEIA TAMBÉM: Croácia terá para sempre gravada na memória a campanha de um time que nunca desistiu

“O vice da Copa do Mundo me deu nova energia, mas isso fez essa decisão extremamente difícil um pouco mais fácil. Nós fizemos nossos sonhos virarem realidade, conquistamos um sucesso histórico e vivemos um incrível apoio dos torcedores”, afirmou o jogador, em comunicado nas suas redes sociais.

“Aquele mês, incluindo a recepção em Zagreb, Slavonski Brod e por toda Croácia, irá permanecer como a memória mais importante da minha carreira. Essa foi a mais bela jornada com a seleção e meu retorno favorito à minha terra natal”, disse ainda o jogador. “Eu estou mais do que feliz, realizado e extremamente orgulhoso dessa medalha de prata, que foi forjada ao longo dos anos, com dor, esforço, trabalho, decepção e momentos difíceis”.

“Não há momento ideal para se aposentar. Se possível, nós todos jogaríamos pela Croácia até morrermos, já que não há sentimento que dê mais orgulho, mas eu sinto que esse momento chegou para mim, agora. Eu dei o meu melhor pela Croácia, eu contribuí para o maior sucesso do futebol croata”, escreveu o jogador.

Mandzukic estreou pela Croácia em 2007 e jogou duas Copas do Mundo em 2014 e 2018. Ele tem uma marca considerável e importante na seleção, sendo o segundo maior artilheiro, com 33 gols, atrás apenas do lendário Davor Suker, com 45 gols e que curiosamente é o presidente da Federação Croata de Futebol atualmente. Dos jogadores ainda em atuação, os mais próximos são Ivan Perisic, com 21 gols, e Nikola Kalinic e Ivan Rakitic, ambos com 15 gols.

Atualmente jogador da Juventus, Manduzkic é um jogador que se tornou dos mais versáteis. Mesmo sendo um centroavante, aprendeu a jogar aberto pelo lado esquerdo e, assim, se tornou titular do time italiano mesmo com a presença de Gonalo Higuaín. Com Cristiano Ronaldo atuando no time de Turim, o croata também sai atrás, mas deve ter chance de atuar ao lado do português. Ainda mais podendo se dedicar apenas ao clube e não mais aos jogos de seleção.


Os comentários estão desativados.