O técnico Roberto Mancini afirmou que a Itália não tem nenhuma surperestrela, como os italianos se acostumaram a ver durante um longo período. O treinador da seleção italiana afirmou que a base do time tem sido construída com jovens e não descarta a convocação de jogadores experientes, como Fabio Quagliarella.

LEIA TAMBÉM: Acima dos ranços, a Juventus e sua torcida prestaram um exemplar tributo a Astori

“A coisa mais difícil foi a eliminação da Copa do Mundo e o desapontamento resultante que havia”, disse Mancini em coletiva de imprensa. “A moral teve que ser construída e não foi fácil, mas eu tive ajuda de todo mundo e nós resolvemos isso muito bem”, continuou. “Então o desempenho e as recentes melhorias nos ajudaram”.

“Há algum tempo nós não temos superestrelas que a Itália teve por tantos anos, então nós precisamos melhorar os jovens para deixar que eles melhorem a experiência”, declarou o jogador. “Nós precisamos uma Itália formada por jogadores jovens e características que acompanhem isso”, disse ainda Mancini.

“Nós tomamos o caminho dos jovens para tentar e construir uma seleção nacional diferente. Mas você precisa esperar pelos jogadores jovens, então nós precisamos de jogadores experientes também, nós temos alguns”, continuou o técnico. “No caso de Quagliarella, eu darei um exemplo: se nós vamos à Eurocopa e Quagliarella é o artilheiro da Serie A, ele pode ser útil para nós”.

“Nesta fase, o importante é que o time jogue muito e crie muito. Na base do trabalho está a diversão, porque com diversão você melhora muito. Eu encontrei rapazes disponíveis com grande desejo para vir à seleção nacional e nós estamos todos no mesmo barco”, afirmou o treinador. “Se você pode trabalhar com síntese e harmonia, isso é um bom ponto de partida”.

A Itália irá receber o torneio sub-21 da Eurocopa, no próximo ano, e Mancini afirma que pode abrir mão de alguns jogadores do time principal, que ainda têm idade para disputar a competição, para reforçar os Azzurrini, como são chamados os times de base. “[Luigi] Di Biagio irá levar em consideração qualquer jogador que seja elegível para a Eurocopa, mesmo aqueles na seleção principal”, disse. “Nosso time sub-21 já é forte e jogará na Itália. Di Biagio sabe que ele pode convocar quem ele quiser sem problema”.

O treinador também falou sobre a relação com os clubes. “Nós estamos bem até agora, porque quando nós podemos ajudar o clube que nós temos, como no último jogo que nós mandamos cinco ou seis jogadores antes do tempo, os que jogaram mais. Eu espero que no futuro nós tenhamos reciprocidade e que seja dada uma mão à seleção nacional. Nós precisamos de colaboração”, disse.