Vencer e jogar bem, sabemos bem, não é a mesma coisa. Algo que os torceodres do Manchester United sentiram cruelmente na pele neste sábado. O time fez um jogo muito melhor do que vinha fazendo nas últimas semanas. Mesmo assim, o time não saiu de um 0 a 0 com o Burnley em casa, o que é, obviamente, um enorme tropeço. Como isso aconteceu?

LEIA TAMBÉM: Giroud e Sánchez precisaram de seis minutos para esmagar o Sunderland

Para começar do começo: o Burnley, claro, fez uma partida muito boa defensivamente. O time se postou totalmente no campo de defesa, especialmente no segundo tempo. Sentiu um bombardeio, seja de chutes de fora da área, seja de jogadas trabalhadas, seja de cabeçadas ou cruzamentos.

O Manchester United conseguiu jogar um excelente futebol diante do Burnley. O resultado não indica isso, mas foi o que o campo mostrou. E ainda teve duas complicações fortes: uma a expulsão de José Mourinho. O técnico acabou expulso por reclamar demais com a arbitragem no intervalo. Mark Clattenburg não quis saber de ouvir mais e mandou o técnico para as arquibancadas. Ele teve que mandar recados ao banco de reservas usando um dos auxiliares.

A atuação sem erros da defesa do Burnley ainda contou com uma falta de pontaria dos jogadores do United, que tiveram chances para marcar. Não só uma ou duas, mas muitas. Segundo os dados da Opta, foram 36 chutes a gol no total, sendo 11 deles no alvo. Foram 29 chances de gols. O time da casa ainda teve 90% de acerto nos passes.

Uma posse de bola que terminou em 72%. Juntando isso à qualidade do jogo, de bons passes, tabelas, infiltrações, torna-se inacreditável o placar ter ficado em 0 a 0.

O time como um todo teve uma atuação bastante boa. Daley Blind, atuando como zagueiro, foi muito bem ajudando a construção do jogo pela sua qualidade técnica. Pogba participou muito do jogo, como se cobrava que ele fizesse. Juan Mata, capitão do time neste sábado, fez ótimas jogadas e ficou perto de marcar, com chutes defendidos pelo goleiro, que pararam na zaga ou mesmo na trave.

Ibrahimovic foi outro a participar ativamente da partida. O camisa 9 não ficou só parado no ataque, esperando que as coisas acontecessem. Ele participu das jogadas, fez o que se esperava dele. Mesmo Lingard, que esteve um pouco abaixo dos demais, foi bem no jogo, teve chances. A expulsão de Ander Herrera, já na parte final do jogo, também complicou um pouco os últimos momentos da partida. Deixou o time desequilibrado e uma das alterações foi para ter Fellaini em campo, um jogador que recompõe um pouco o setor, além de dar opção na bola aérea.

No final do jogo, uma jogada ensaiada do Manchester United quase resolveu o jogo. Em uma movimentação inteligente, Rooney se desmarcou e recebeu de Blind, no meio da área, livre. Ele chutou para fora. Ibrahimovic, que chutou 12 vezes a gol durante a partida, também perdeu uma chances incrível em um cruzamento.

O jogo claramente poderia ter seguido outro roteiro se uma dessas bolas tivesse entrado, mas o fato é que não entrou. O time do técnico Sean Dyche arranca um ponto importantíssimo para a campanha do time, que é de permanência na primeira divisão. Afinal de contas, a equipe veio da segundona e tem como missão primeira se salvar.

As críticas pelo mau resultado do Manchester United provavelmente virão, porque o time está com 15 pontos e muito longe dos líderes, que já estão com 23. A distância para quem quer disputar o título é grande. Mas é preciso olhar para o jogo. E o jogo do Manchester United foi muito bom. Mourinho, já expulso, parece ter errado ao escolher Mata para sair no segundo tempo, quando Rooney entrou. Este é um pontos também. Lingard e Rashford poderiam ter saído e mantido o espanhol em campo, que ia bem.

O primeiro passo para um time que quer vencer com frequência é jogar bem sempre. O Manchester United jogou bem. No meio da semana, pela Copa da Liga, fez ótimo jogo com o Mancheter City e venceu por 1 a 0, aproveitando também o time misto dos adversários. Neste sábado, a atuação foi ainda melhor e era para ter feito dois, três, quatro gols. Não fez. E essa falta de eficiência cobra o seu preço.

O que se viu no Old Trafford neste sábado não se repete com frequência. Um time que joga como jogou o United vencerá a maioria dos seus jogos, alguns deles com certa facilidade. Esta é a grande notícia para os torcedores. Porque este nível de atuação renderá vitórias. Até porque o time não foi só uma pressão no abafa, com cruzamentos e cabeçadas. Vimos ótimas jogadas trabalhadas, triangulações. Faltou o gol, que é o mais importante, mas isso deve voltar a acontece. Talvez na próxima rodada.