Em um time que tem tantos destaques ofensivos, foi um defensor que decidiu o jogo do Manchester City contra o Southampton, neste sábado, no Etihad Stadium. O City venceu por 2 a 1, mas não foi nada fácil. Apesar de pressionar muito o adversário, com 26 chutes a gol, o time comandado por Pep Guardiola só arrancou a virada nos minutos finais. E quem mais brilhou foi o lateral direito Kyle Walker.

O Southampton vem de uma série de jogos complicados. Tinha tomado 9 a 0 do Leicester jogando em casa no dia 25 de outubro e depois, pela Copa da Liga, perdeu do próprio Manchester City por 3 a 1, sem oferecer muita resistência. O time chegava para esta partida, no estádio Etihad, com a responsabilidade de tentar mostrar um pouco mais de futebol e ao menos complicar um pouco as coisas.

E se a intenção era complicar, bom, deu certo. Porque o time tornou a tarefa do Manchester City difícil desde o começo. E logo aos 16 minutos, os Saints conseguiram abrir o placar. Nathan Redmond teve espaço para avançar, tocou para Stuart Armstrong, que chutou. O goleiro brasileiro Ederson rebateu e a bola sobrou para James Ward-Prowse finalizar e colocar na rede: 1 a 0.

O Manchester City já dominava a posse de bola, mas faltava precisão nas finalizações. Foram 14 chutes a gol do time de Guardiola só no primeiro tempo, enquanto os visitantes só tiveram três. O curioso é que das 14, nenhuma foi no alvo. Isso mesmo: nenhum chute certo em todo o primeiro tempo.

Não por acaso, Guardiola estava insatisfeito e ainda no final do primeiro tempo colocou Gabriel Jesus para aquecer. O brasileiro entraria ainda no primeiro tempo e estava posicionado para isso, mas o primeiro tempo acabou antes. Assim, ele voltou para o segundo tempo no lugar do meia espanhol David Silva. Com isso, Bernardo Silva deixou a ponta para buscar a armação de jogadas, com Gabriel Jesus atuando mais parecido com o que tem sido na seleção brasileira, pelo lado.

Como esperado, o segundo tempo foi de uma pressão intensa. E aos 25 minutos, veio o gol de empate. Kyle Walker teve espaço e avançou até a linha de fundo, cruzou rasteiro e Sergio Kun Agüero finalizou forte, por baixo das pernas do goleiro: 1 a 1 no placar. O cenário continuou o mesmo. O City sabia que precisava da vitória e a informação que o Aston Villa vencia o Liverpool tornava isso ainda mais urgente.

A pressão seguiu, mas a virada só veio quando o jogo já estava em 41 minutos. O lateral esquerdo Angeliño, novidade do time, chegou à linha de fundo, cruzou, o goleiro Alex McCarthy dividiu com Gabriel Jesus e Kyle Walker apareceu dentro da área para finalizar rápido e estufar a rede: 2 a 1 e virada cardíaca do City.

O time ainda teve a chance de ampliar, em contra-ataques com Sterling e Gabriel Jesus, mas ambos desperdiçaram suas chances, para loucura de Guardiola. O placar final foi mesmo 2 a 1. Acabou sendo ainda mais importante do que parecia no momento do empate, porque o Liverpool buscou a virada nos acréscimos. Assim, o City manteve a distância de seis pontos entre os dois times. E na próxima semana há um Liverpool x Manchester City que tem tudo para pegar fogo em Anfield.

Standings provided by Sofascore LiveScore