O mercado do futebol feminino da Inglaterra já havia sido marcante, com a quebra do recorde de transferências batido pelo Chelsea e o recrutamento de uma série de estrelas, especialmente da seleção americana feminina. E é também da atual bicampeão mundial que chega a cereja do bolo. Neste sábado, o Tottenham anunciou a contratação de Alex Morgan para a temporada 2020/21.

Morgan fez parte dos dois títulos da Copa do Mundo conquistados pelos EUA em sequência e foi uma das artilheiras da última edição, com seis gols, ao lado de Megan Rapinoe e Ellen White. Ela defende o Orlando Pride desde 2016 e retornou aos gramados em agosto após dar à luz sua primeira filha, Charlie, em maio. Será sua segunda passagem pela Europa. Defendeu o Lyon, por empréstimo, em 2017.

Segundo o Guardian, também ficará no norte de Londres temporariamente, em busca de mais tempo de jogo para garantir vaga na Olimpíada de Tóquio do ano que vem. Após a Challenge Cup, entre junho e julho, que marcou o retorno do futebol feminino dos EUA após a paralisação pela pandemia de coronavírus, a National Women’s Soccer League disputará um mini-torneio neste segundo semestre, a Fall Series, que prevê apenas quatro partidas para cada clube.

Isso tem ajudado a trazer outras estrelas da seleção americana para a Inglaterra. O Manchester City acertou as chegadas de Rose Lavelle, eleita a terceira melhor jogadora da Copa do Mundo da França, e Sam Mewis, ambas com contratos curtos. O Manchester United contratou as atacantes Tobin Heath e Christen Press, com vínculos de um ano.

Mas a fome da Inglaterra por novas estrelas foi além das oportunidades de mercado apresentadas pelos Estados Unidos. O Chelsea quebrou o recorde de transferências, com uma taxa estimada em torno de £ 300 mil, a atacante dinamarquesa Penille Harder, ex-capitã do Wolfsburg, pelo qual marcou 103 gols em 113 jogos, ganhou a Dobradinha doméstica em seus quatro anos na Alemanha e conduziu seu clube à última final da Champions League.

O Manchester City repatriou a lateral Lucy Bronze, que retorna ao país e ao clube após três títulos europeus consecutivos pelo Lyon. Ela também foi um dos grandes destaques do Mundial de 2019. Foi eleita a segunda melhor jogadora do torneio, atrás de Megan Rapinoe.

Morgan tem 107 gols em 169 partidas pela seleção dos EUA e, além dos dois títulos mundiais, também conquistou a medalha de ouro em Londres, em 2012. O Tottenham chegou à Superliga Feminina na última temporada, vice do Manchester United na divisão de acesso, e estava em sétimo lugar, entre 12 participantes, quando a temporada foi encerrada pela pandemia.

.