Fernando Prass deixou o Palmeiras de uma maneira que poucos esperavam, sobretudo por sua importância à história recente do clube. Aos 41 anos, ainda sem desejar a aposentadoria, o goleiro se transformou em uma alternativa no mercado a vários times brasileiros. E quem ganha um símbolo a partir de 2020 é o Ceará. Na noite desta quarta-feira, o Vozão oficializou a chegada do camisa 1. Prass vem com contrato até o final do ano, sem sinalizar se pendurará as luvas ao final do vínculo.

A curto prazo, a contratação de Fernando Prass se indica um bom negócio ao Ceará. O goleiro pode ter deixado para trás a sua melhor forma, mas deu conta do recado na maior parte das vezes em que precisou entrar na meta do Palmeiras durante os últimos meses. Ainda seria interessante a outros clubes da Série A – como o próprio Grêmio, onde o veterano iniciou sua carreira. Todavia, o Vozão fechou o acordo e tende a ganhar bem mais do que um ótimo camisa 1 nestes próximos meses.

Prass também representa uma liderança natural dentro do elenco. Poderá auxiliar bastante, neste momento em que os cearenses se reformulam para o início de uma nova temporada. Será um jogador para encabeçar o clube e também ajudar na visibilidade em outros mercados. Até pelo carinho permanente que existe junto ao Palmeiras, certamente muitos alviverdes darão uma atenção especial ao noticiário do Vozão. Em proporções distintas e em funções também diferentes, há similaridades com o que ocorreu a Rogério Ceni no Fortaleza. O Ceará não traz apenas um goleiro, mas também um cara experimentado e idolatrado no futebol.

Até por isso, será interessante notar a sequência de Fernando Prass no novo clube. O veterano sempre demonstrou uma propensão a seguir no futebol depois de encerrar sua carreira nos gramados. Até por sua capacidade de comunicação e por sua liderança, pode se tornar um dirigente no futuro. A chegada ao Ceará talvez signifique um passo além nesta transição, ainda que o primeiro ano esteja voltado ao que acontecerá dentro de campo. A partir de então, será possível planejar outros passos.

Presente na Copa do Nordeste e firme na Série A do Brasileirão, o Ceará tenta se estabelecer em 2020 após uma temporada relativamente conturbada, com as constantes trocas de técnico e a inevitável comparação com o rival Fortaleza. Por isso mesmo, o Vozão se mexe bastante nesta preparação ao novo ano. O clube faz um mercado abastado e confia em alguns jogadores rodados, sobretudo em clubes do sul e do sudeste.

Além de Prass, outro nome que pode causar impacto no Ceará é o de Rafael Sóbis, já sem tanto espaço no Internacional. O atacante assume o papel de referência ofensiva, em setor que também ganha Rodrigão, destaque do Coritiba no acesso à Série A. Até o momento, os alvinegros anunciaram nove reforços. Já a principal perda foi a de Thiago Galhardo, vendido ao próprio Inter. Apesar disso, com orçamento recorde, a diretoria conseguiu segurar peças importantes – incluindo o zagueiro Luiz Otávio e o volante Fabinho.

A estratégia de apostar em medalhões nem sempre se paga. O prazo para render em campo é curto e as chances de reaver o investimento com novas transações é nula – além dos salários que costumam ser mais altos. Ainda assim, o Ceará traça os seus planos e terá nomes de peso para protagonizar suas principais campanhas em 2020, sob as ordens de Argel Fucks. Ao menos com Fernando Prass, os riscos parecem ser mínimos. Em apenas um ano, os alvinegros ganham um potencial ídolo – assim como foi a Coritiba, Vasco e Palmeiras.