A transferência aconteceu de repente, e foi concluída em questão de horas. Três dias depois de pintarem os primeiros rumores de que Xabi Alonso poderia ser o novo reforço do Bayern de Munique, o espanhol já apareceu vestindo a camisa dos bávaros. Um negócio interessante, por tudo o que o meio-campista representa e o que pode influenciar no clube. Porque, mais do que um novo espanhol para o elenco de Pep Guardiola, a chegada do volante também traz alternativas ao jogo coletivo da equipe.

MERCADO: Benatia chega ao Bayern para se confirmar como um dos melhores zagueiros do mundo

Xabi Alonso já não vive o melhor momento da carreira, é verdade. Às vésperas de completar 33 anos, o meio-campista vinha perdendo espaço no Real Madrid, especialmente depois da contratação de Toni Kroos. A chegada do alemão, bem como a afirmação de que Sami Khedira permaneceria no Bernabéu, certamente aceleraram a saída do veterano. Apesar disso, seu desempenho na última temporada foi destacado, sendo peça fundamental na conquista da última Liga dos Campeões, tanto que sua ausência na final por suspensão foi motivo de preocupação no clube.

Xabi Alonso chega ao Bayern em contrato firmado por dois anos. Sobretudo, indicando que Guardiola quer alternativas para o jogo de posse de bola que engessou o time na reta final da última temporada. Por mais que tenha sido protagonista na seleção espanhola que viveu grandes glórias entre 2008 e 2012, o volante foi um dos que mais protestaram pelo fim do tiki-taka na equipe de Vicente Del Bosque durante a última Copa do Mundo. A mentalidade de um jogador que, além de muito técnico, é extremamente inteligente, certamente pesou na escolha dos bávaros.

LEIA MAIS: O Bayern começa a temporada variando para não cair nas armadilhas de 2013/14

Afinal, se o Real Madrid se consagrou com um estilo de jogo vertical nos últimos anos, muito disso corresponde a Xabi Alonso. A qualidade do meio-campista nos passes longos e na distribuição de jogo foi imprescindível nesse estilo, garantindo também a proteção à frente da defesa. Um tipo de jogador que o Bayern não possui em seu elenco, por mais que Phillip Lahm e Bastian Schweinsteiger tenham qualidade nos passes longos. Com o basco, aliás, o uso frequente de Lahm novamente na lateral deverá ser natural, ainda que Guardiola já tenha indicado sua preferência pelo capitão no meio-campo.

Segundo o próprio Xabi Alonso, ele chegou a ter propostas de clubes ingleses, mas recusou por causa de sua história no Liverpool. Também concordou com o projeto que o Bayern apresentou a ele. Certamente, mais do que uma opção para o meio-campo, Guardiola quer que se novo volante também seja uma cabeça a mais para pensar o jogo dos bávaros. Um excelente acréscimo ao elenco, pelo jogador e pela experiência.