O Derby D’Italia foi decidido com um golaço: Juan Cuadrado, ainda no primeiro tempo, marcou o único gol do jogo em um chute lindo que acertou o ângulo de Samir Handanovic. A diferença no placar foi apertada, mas o jogo mostrou mais do que isso. A Juventus não fez uma partida magnífica, assim como a Inter também não, mas o time bianconeri foi superior aos nerazzurri.

LEIA TAMBÉM: Personalidade, competência e estrela: Gabriel Jesus é quem salva Man City nos acréscimos

O técnico da Inter, Stefano Pioli, tentou um esquema com três zagueiros, assim como o da Juventus, Massimiliano Allegri. Sem alas típicos, Pioli colocou Candreva pela direita, Perisic pela esquerda, em um jogo ofensivo. Foi assim que o time começou bem em campo, mas batia de frente na parede juventina, formada neste jogo por Rugani, Bonucci e Chiellini.

A Juventus sempre foi mais perigosa, mesmo nos momentos do jogo que teve menos a bola. Aliás, a posse foi bem equilibrada: 51,7% para a Inter, 48,3% para a Juve. Em chutes, 13 para a Juventus, 12 para a Inter. Equilíbrio, mas em chances de gol a Juve foi mais perigosa, chegou mais perto de um 2 a 0 do que a Inter pelo empate. Ao menos no que diz respeito àquelas chances realmente claras de gol.

A Inter não fez um jogo ruim, mas pareceu incapaz de reagir à marcação e à forma de jogar da Juventus. O time da casa também teve boas armas ofensivas, atuando, assim como nos últimos jogos, com Dybala, Mandzukic e Higuaín no ataque. Sim, é possível, inclusive em um clássico. E colocou a Inter em algumas dificuldades no jogo. No meio, Marchisio, Pjanic e Khedira.

Roberto Gagliardini, da Inter, teve mais uma vez uma boa atuação e foi o jogador que mais fez passes, 60 neste jogo. Os outros passadores da Inter mostram onde a posse de bola da Inter mais ficou: Miranda (56), Murillo (55), Medel (53), todos atuando na linha defensiva. Só então aparece um meio-campista: Brozovic (53). O jogador mais crucial para a Inter foi João Mário, que fez cinco passes-chave. Só que o gol não saiu.

Mauro Icardi, melhor jogador da Inter, também não conseguiu brilhar. Ficou perdido entre os zagueiros da Juventus e mesmo tentando buscar o jogo acabou não sendo abastecido. Os interistas tiveram dificuldades em fazer os seus ataques serem perigosos. Tanto que Buffon só fez duas defesas no jogo. Handanovic fez cinco.

A Juventus segue bastante superior aos demais concorrentes. A Inter é um time com potencial de jogar mais do que tem jogado, de ir além do que faz até aqui. A distância para chegar à Juventus, porém, ainda é longa. Resta saber o quanto os times, não só a Inter, conseguem melhorar para causar problemas ao time de Turim. Por enquanto, parece que o hexacampeonato da Juventus é só uma questão de tempo.